Atalho Image Map

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Imagine Hot (Louis Tomlinson) - Prêmio #ESPECIAL


Boy Louis Tomlinson
Nome: Prêmio
Autora: Débora
Classificaçãp: +16
Restrição: Insinuação de sexo
Categoria: Especial

p.s.: Karoline demorei? Obvio que sim, lamento por isso. Mas ai está seu imagine hot com o Louis que de principio tem uma cena fofa, mas acho que vai gostar e espero que sim.

Estava exausta e tinha acabado de chegar em casa, estava um tanto preocupada também, e por isso estacionei o carro nas pressas.
Tinha deixado meu namorado cuidando de minha filha de três anos, sim minha filha. Tive ela em meu primeiro casamento que durou dois anos, nós não nos amávamos e casamos por ser jovem e nossos pais nos obrigaram, pais por parte de ambos seguiam muito os costumes antigos, e estar gravida ao 18 é difícil e nos forçaram a nos casar por um descuido, maldita camisinha que estourou, tivermos cuidado.
Mas não me arrependo, tinha uma filha linda que amo hoje e seu pai e eu ainda somos amigos, não nos amávamos e decidimos seguir nossas vidas, mesmo nossos pais reclamando sobre isso já éramos adultos e decidimos nos divorciar. Minha mãe ainda tem raiva por isso.
Mas bem, os finais de semana – começando de sexta, hoje - normalmente Ellen fica com o pai, mas ele teve de viajar e eu não tive tempo de contratar uma babá, por isso Louis decidiu cuidar dela e Ellen adora Louis por isso não vi problema, mas do jeito que Louis é fico preocupada com como devem estar.
Entro em casa e não os vejo, deixo minha bolsa sobre o sofá e vou em direção as escadas, subo com calma e caminho em direção ao quarto de Ellen, assim que entro sorrio instantaneamente ao ver Louis sentado na cama e Ellen deitada com a cabeça apoiada em seu colo enquanto ele lhe ler uma história, ela já tinha adormecido e ele nem notou.
Ele nota minha presença e sorrir para mim enquanto caminho na direção de ambos.
- Ela já dormiu.
- Nem notei. – ele sorrir, com cuidado tira a cabeça dela de seu colo a colocando deitada na cama e lhe cobrindo. Sorrio ainda mais para eles assim que o vejo depositando um beijo na testa de minha pequena e logo se afasta vindo em minha direção.
- Vamos, não queremos lhe acordar.
- Claro.
Saímos do quarto de Ellen e fomos em direção ao meu.
- Confesso que estou surpresa. – digo assim nós estamos no quarto, e ele parece confuso. – Cuidou muito bem de Ellen pelo que vejo.
- Ela é um amor, não me deu trabalho. Nos divertimos, ela comeu bem e depois tomou um banho e disse que estava com sono, a coloquei na cama e me pediu para ler.
- Comigo ela não é assim... – digo fazendo bico. – É difícil para comer.
- Então saiba que ela foi um anjo comigo e fazia tudo o eu mandava, sem reclamar.
- Merece um prêmio por isso. – sorrio perversa e ele arqueia uma sobrancelha. – O que será que você gostaria de ganhar.
Eu dizia e a cada palavra dita era um botão que era aberto de minha camisa deixando meu sutiã exposto para ele.
- O que está justamente na minha frente.
Em poucos segundos eu já sinto seus lábios precionados contra os meus em um beijo calmo e apaixonado que me faz sorrir.
Louis é a melhor coisas que aconteceram em minha vida, depois de Ellen claro, eu amo tanto esses dois e ver o quanto eles se dão bem é glorificante, sempre fiquei imaginando se Ellen iria aceitar e se dar bem com o outro homem que me envolvesse sem ser seu pai, e logo de primeira ela é completamente encantada por Louis, seus olhos brilham quando o ver, também Louis adora estar fazendo brincadeiras e graças, por isso que ela o aceita tão bem e eu fico completamente feliz com isso.
Cessando o beijo ele me olha nos olhos e sorrir, deixando-me ainda mais apaixonada, se possível, por seu sorriso e olhos azuis.
- O que você quer fazer com seu prêmio. - eu sussurro em seu ouvido deixando os pelos de seu pescorço eriçados, o que me faz beijar a area. - Saiba que ele está disposto a fazer o que você quiser.
Suas mãos envoltas de meu quadril aperta meu corpo de encontro ao seu, sinto que minhas palavras está fazendo efeito nele ao sentir sua ereção se formando. O que me faz lhe atiçar mais e levo uma de minhas mãos até ela e lhe toco sobre a calça o que faz o mesmo gemer baixinho.
- Você não faz a mínima ideia do quanto te quero. – sussurro enquanto abro sua calça e deslizo minha mão para dentro dela constatando o quanto ele está duro. – Isso tudo é para mim? Você não imagina o quanto estou molhada.
- ...
- Sim querido? – movimento minhas mãos o masturbando, sua respiração estava acelerada.
- Não provoca.
- Porque? – faço beicinho enquanto olho em seus olhos que estão escuros em lúxuria. – Não disse que me queria como prêmio?
- Eu quero, mas... Não me atice tanto, nunca dá certo brincar com fogo.
- Mas eu gosto de ser safada, mas para você, apenas para você.E se for preciso me queimar, eu não me importo.
Bastou tais palavras para ele envolver suas mãos em mim me pegando no colo e carregando até a cama, onde me jogou. Eu sorrir perversa com sua atitude bruta e me ajeitei na cama me livrando de minha camisa e sutiã, enquanto ele se livrava da camisa e de sua calça, ficando apenas com sua boxer.
Seu olhar chegava a ser assustador, enquanto suas mãos passeiavam por meu corpo apertando o mesmo contra o seu e me fazendo sentir sua ereção.
- Espero que esteja pronta, porque vamos fazer amor a noite toda.
Sorrir com suas palavras e o puxei para um beijo voraz demonstrando que eu estava ansiosa para a noite de amor com ele,seus beijos foram descendo por meu corpo e passou a dar atenção aos meus seios.
Ele passou a estimular meus seios de forma delicada, mas excitante. A forma como seus dedos tocavam e rodopiavam um de meus mamilos, enquanto o outro era estimulado da mesma forma, porém com sua língua. Aquilo era realmente bom, eu provavelmente nunca me vou cansar de receber essas caricias suas.
Sinto sua respiração quente descer por meu corpo e seus lábios dá um beijo na parte interna de minhas cochas enquanto vai subindo, sinto um tremor nas pernas em ansiedade, já a saber o que vou receber. Era impossível não tremer com seu toque.
Aperto meus olhos com força assim que sinto sua língua pressionada contra meu clitóris, mordo meus lábios reprimindo qualquer som, quando ele passa a fazer círculos com a língua ainda pressionada em meu clitóris. Aquilo era maravilhoso.
Suas mãos seguram firme em minhas cochas tentando impedir ou ao menos controlar os choques de prazer que sentia a cantar estimulo em meu clitóris, desde sua respiração quente no local, a seu toque suave e úmido com a língua.
- Louis... – aperto os lençóis da cama incapaz de continuar a controlar os gemidos. Sentia que a qualquer momento teria um orgasmo, e ele estava a se divertir com isso.
Sinto um dedo seu me invadir, e gemo um pouco mais, e levo minhas mãos a seus cabelos os puxando. Ele retira o dedo e depois o põe de volta acompanhado de mais um.
Abaixei o olhar a procura do seu, e vi ele com os cabelos colados em sua testa pelo suor e atendo ao que fazia, a sena era ainda mais excitante.
Arquei as costas quando sua língua voltou ao local acompanhada de seus dedos, aquilo era demais para mim suportar, e me deixo vim enquanto gemo seu nome.
Quando abro os olhos o vejo a sentir meu gosto com seus próprios dedos na boca, aquilo era sem dúvida uma maravilha. Sentia-me no paraíso.
- Não há prêmio melhor que esse . – ele diz enquanto se posiciona sobre meu corpo, ambos nus eu olhos para baixo vendo sua ereção já contra meu sexo, o mesmo enquanto segura na base da mesma e provoca passando em meu clitóris. – Eu sou um namorado maravilhoso não? Deveria ser recompensado todas as noites.
- Louis... Vai logo! – digo movendo meu quadril de encontro a ele querendo que ele me preencha logo.
Aos poucos ele foi encaixando sua ereção em mim, fecho meus olhos com força sentindo centímetro por centímetro.
- Caralho... Você está tão pronta! – sua respiração quente está contra meu pescoço enquanto eu o sentia por completo dentro de mim, até o fundo, aquilo era tão bom. – Quente... Apertada... Como pode?! – ele dizia enquanto distribuía beijos e sugadas por meu pescoço. – Isso é tão torturante... Posso me mover?
- Deve se mover. – digo apertando sua bunda e ele sorrir contra minha pele, posso sentir.
Ele levanta seu rosto e beija meus lábios no mesmo tempo que começa a se mover, minhas mãos deslizam por suas costas sentindo seus músculos se contrair a cada investida. E eu sentia seu membro entrando e saindo de mim, cada centímetro era delicioso. Louis Tomlinson é gostoso.
Seus lábios apenas estavam contra os meus nesse momento, e o som de seu gemido era valioso, eu poderia ouvir sempre, nunca me cansaria. Era tão sexy, excitante... Deixa-me louca.
Observo enquanto seu rosto é afastado do meu, uma de sua mão fica segurando firme na cabeceira da cama enquanto ele intensifica seus movimentos, coloco uma de minhas cochas ao redor da sua para o sentir mais fundo, sua expressão de prazer é gratificante. Ele aperta os olhos com força, com a boca entreaberta pronunciado palavras obscenas que pouco me importa, soa tão sexy de sua boca.
- Foda-se! – sua voz sai quase como um sussurro e eu aperto seu ombro, era maravilhoso sentir cada centímetro seu sem a porra de um preservativo, era nossa primeira noite sem um e pouco me importava. Estava disfrutando cada momento.
Seu quadril ia contra o meu com força e agilidade, ele estava a ser tão rápido. Podia ouvir o som de nossos corpos úmidos com o suor se chorando, o som da cama a se mover com a força que ele pressiona na cabeceira. Podia sentir seu membro inchando dentro de mim, sabia que ele não aguentaria mais tanto tempo, mas eu mesmo já não aguentava mais.
Sentia toda a sensação de estase em meu corpo, sentia-me fora da realidade, e quando ele aperta minhas cochas indo mais fundo não aguento mais. Meu músculo se contrai e ao mesmo tempo que ele geme meu nome da forma mais sexy, eu me deixo vim em um orgasmo intenso. Ele penetra mais uma única vez e se vem me preenchendo.
- Louis... – gemi sem força deixando meu corpo relaxar contra o colchão da cama, ele suspira fundo e seu corpo cai ao lado do meu, a sensação de vazio sem ele é quase aterrorizante, era tão bom o sentir.
- Eu te amo. – são suas palavras, que me faz voltar para a realidade e olhar para ele que no mesmo instante vira o rosto em minha direção e repete. – Caralho, eu te amo.
Ele faz uma expressão engraçada como se ele mesmo não acreditasse nisso, como se estivesse muito surpreso para raciocinar isso.
- Eu não sei o que fez comigo, mas eu realmente te amo e isso é estranho para caralho. – ele repete me fazendo gargalhar, gargalhar pela forma adorável que ele me diz pela primeira vez que me ama. – Qual a graça ?
- Você seu bobo. – inclino-me e lhe selo. – Eu te amo. 

2 comentários:

  1. OMG *O* que fofo. Se eu gostei? Eu amei.
    xxKaroline

    ResponderExcluir
  2. Que perfeito ��

    ResponderExcluir

✖ Sugestões e críticas são bem vindas.
✖ Caso o script interativo não esteja pegando, informe, por favor.