Atalho Image Map

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Mini Imagine (Harry Styles) - Trouble (Part 7)

Problemas, problemas, problemas... A única coisa que Harry traz em minha vinda. Chega em casa cada vez mais bêbado, cada vez fumando mais e cada vez mais obsessivo... É só problema o que tenho, e mesmo o amando sei que devo deixa-lo.


Letting you go is
Making me feel so cold, yeah
And I've been trying to make believe it doesn't hurt
But that makes it worse, yeah
See I'm a wreck inside
My tongue is tied and my whole body feels so weak

Boy Harry Styles.
Gênero: Drama e Romance.
Classificação: +16.
Nota: Contém palavras de baixo calão, insinuação de sexo, drogas, agressão.




- Harry... ... Acorda. – ouço aquela voz delicada, de preocupação me chamando da forma que só ela o faz. Aos poucos vou me despertando e eu vejo seu olhar preocupada em direção a mim.
Eu ainda estava dormindo? Ou ela realmente estava ali? Oh, eu morri e estou vendo um anjo. Nossa, eu sou patético. De onde tirei isso? Soou tão dramático e gay.
- Eu vim cuidar de você. – ela diz acariciando meu rosto, respondendo a minha pergunta que nem lhe fiz. – Por Favor, se levante daí.
- Porque você cuidaria de mim? – questiono enquanto me sento para lhe observar melhor, ainda sem acreditar que ela realmente está comigo. – Você me deixou, você tem outro... Afinal onde ele está agora?

- Harry, eu te deixei porque naquele momento era a coisa certa a se fazer, era, era.... O melhor para mim, eu estava farta.
- Melhor para você? Realmente só para você, porque eu sofri com isso, eu ainda sofro com isso. A sua maldita escolha.
- Harry não vamos falar disso agora.
- E quando vamos falar?
- Depois de eu cuidar de você. – ela diz estendendo suas mãos para mim. – Por favor, me deixe cuidar de você.
Eu queria poder lhe dizer não, mas além de eu estar me sentindo realmente péssimo, eu não consigo dizer isso a ela.
Bufo irritado e me levanto, ela me olha assustada ao ver que ainda estou com a mesma roupa do último dia que lhe vi.
- Eu sabia que faria ele se levantar. – ouço a voz do Niall e o encontro saindo da cozinha, claro, deve esta assaltando meus armários e geladeira.
- Er... Eu vou dar um banho nele, ele está precisando e talvez faça a febre sair um pouco de seu corpo. – ela diz e eu lhe observo curioso... Ela me daria um banho? Oh eu gosto disso e não posso deixar de maliciar. Em minha defesa eu realmente estou sem sexo desde que ela me deixou. – Vem Harry!
Ela diz enquanto caminha em direção ao banheiro, eu olho para o Niall e sorrio malicioso satisfeita com a situação, o que lhe faz revirar os olhos e voltar para cozinha. Mas não tem como me controlar, não é fácil estar todo esse tempo sem sexo de verdade a não ser quando tenho que recorrer as mãos. As coisas ficam ainda mais difíceis quando você sabe que pode ter qualquer mulher a qualquer momento, você é solteiro e todas mulheres te olham com desejo, mas do que adianta? Eu só quero uma, que por acaso tinha me deixado e agora está aqui querendo cuidar de mim.
Quando começo a caminha sinto dores musculares por todo o canto de meu corpo, cada centímetro o que me faz soltar um gemido em dor. E por mais que eu estivesse com frio, meu corpo estava quente, mas o calafrio me fazia desejar voltar para debaixo das cobertas.
- Você não devia deixar de se hidratar e de se alimentar. – ela diz quando chegamos ao banheiro e ela começa a encher a banheira.
Eu me sentia tão fraco que só fiz me encostar na porta do banheiro assim que a fechei.
- É nisso que dá, você fica fraco e adoece. – ela fala em tom como se estivesse me repreendendo. Eu sentia falta disso, que ela sempre me repreendia quando fazia algo errado, sentia falta até mesmo de nossas brigas.
Ela se aproxima de mim e me olha seria, forço um sorriso para ela, o mais galanteador que eu consigo fazer no momento, mas parece não causar efeito nela. Não julgo, eu estou em um estado deplorável.
Sinto meu corpo todo ficar tenso quando sinto suas mãos me tocarem e começarem a abrir minha camisa branca social. A febre já não era mais o único motivo para meu corpo estar quente.
Eu sentia falta de seu toque, e por mais que seus dedos apenas rocem contra a minha pele enquanto ela abre cada botão isso já me provoca, já me deixa louco.
Sinto minha camisa cair no chão e suas mãos irem até minha calça e abrir, isso deixa-me ainda mais tenso e engulo em seco enquanto lhe olho nos olhos.
Em segundos minhas calças estão a baixo e me livro dela ficando apenas com minha boxer.
- Entre logo na banheira. – ela diz e lhe olho confuso. Levo minhas mãos até o coes de minha boxer e quando ela percebe o que farei me para antes que o faça. – Permaneça de boxer.
- Eu vou me banhar, não vou ficar de boxer.
- Harry não tire sua boxer, vai ser estranho.
- Estranho porque? Não a nada que já não tenha visto antes. – digo enquanto me livro de minha boxer. Ela me olha surpresa por ter vesti que eu realmente retirei e agora estava totalmente sem roupa a sua frente. – O que foi? Disse que ia me dar um banho, agora eu quero um banho.
- Mas eu não posso te dar um banho com você assim.
- Não diga isso depois de tudo o que já fizermos. – digo com um sorriso malicioso lembrando de alguns momentos excitantes com ela.
Ela por sua vez, não diz mais nada enquanto eu entro na banheira.
Estar dentro da banheira faz todo o meu corpo relaxar e eu suspiro em alivio com isso. Ela permanece calada
- Não vai me dar banho?
- Acho que é bem grandinho para isso, vou pegar uma roupa para você. – ela diz enquanto sai do banheiro. Suspiro em frustração, por um momento pensei na possibilidade de ela realmente dar um banho e se juntar a mim na banheira, o que acabaríamos fazendo amor e não se banhar.
Eu sou idiota, só penso idiotice que só me deixam iludido sobre tê-la mais uma vez. É, eu sei que é patético, eu sou patético.
[...]
Alguns minutos depois ouço batida na porta em seguida de sua voz a perguntar se pode entrar.
Digo que sim e ela entra pondo minhas roupas sobre o vaso que estava fechado. Antes que ela saia novamente do quarto eu peço para que fique.
- O que foi Harry?
- Lava meus cabelos? Por favor? – eu praticamente imploro choramingando, eu sei que não era motivo de tal dramatização, mas eu só queria que ela ficasse ali comigo. E eu sentia falta e gostava de quando ela ensaboava meus cabelos.
- Tenho que terminar sua refeição.
- Não vai demorar. – ela suspira e sei que se rendeu. Sorrio assim que vejo ela caminha em direções aos produtos capilares e se aproximar da banheira para lavar meus cabelos.
Sentia as pontas de seus dedos massagearem o meu couro cabeludo e me deixava mais relaxado, quase que fazia com que a maldita dor de cabeça que tenho fosse embora.
Eu sempre gostei dessa sensação, e sempre pedia para que ela lavasse meus cabelos. Poderia ser estranho, mas tal ato me tranquilizava. Não precisava de fazer isso enquanto lavo os cabelos, em qualquer momento eu me sentia tranquilo, como nas muitas vezes em que estava tenso e deitava minha cabeça apoiada em sua perna e ela fazia essa massagem no couro cabeludo.
Mas só suas mãos causavam esse efeito em mim, qualquer outra pessoa que o fizesse não me importava e não me tranquilizava como é quando ela o faz.
- Mergulha Harry. – ela diz e eu ao menos tento mergulha para tirar o produto do cabelo, é meio complicado, aquela banheira parecia ter encolhido ou eu que estava cada vez mais alto.
Ela passa o outro produto, e penso se era bom tê-la aqui agora. Eu tinha pedido para que ficasse e lavasse meus cabelos porque queria ela por perto, mas todo o silencio a qual estávamos era constrangedor e estava a me irritar.
Quando ela terminou de lavar suspirei quando a vi sair sem dizer nada, apenas terminei meu banho e sai da banheira. Me enxuguei e olhei a roupa a qual me trouce, era uma camisa simples preta e uma calça de moletom, junto a boxer branca. Vesti apenas a boxer e a calça, deixando a camisa sobre meu ombro.
Sai do banheiro e vi Niall a rir como um idiota de algo que acabou de lhe dizer, e ela também ria dele. Toda a intimidade entre eles estavam a me incomodar, eles pareciam ter assunto, já eu e ela não.
- Eu estou com fome. – digo me sentando em um dos bancos da bancada que tinha na cozinha ilha que fez tanta questão quando nos mudamos, tudo aqui me lembra ela.
- Está quase pronta.
- Hm...- digo passando minhas mãos por meus cabelos úmidos. Os pingos a cair em minhas costas estavam a me incomodar, mas percebia o olhar de sobre mim, sei o quanto ela gostava de mim após o banho, ela sempre dizia que eu ficava mais sexy após banho, principalmente quando fico assim como estou sem camisa e cabelos molhados. – Dá tempo de ir enxugar meus cabelos?
- Sim.
- Niall, pode me ajudar? – pergunto e ele me olha desconfiado, mas mesmo assim me acompanha de volta ao banheiro.
Eu me sento sobre a tampa da privada fechada e peço para que Niall seque meus cabelos.
- É sério isso? – ele diz enquanto me olha com raiva após revirar os olhos.
- Sim, por favor. – peço e ele bufa irritado enquanto liga o secador.- Agora podemos conversar.
- O que foi Harry?
- Ela falou de mim enquanto estava no banho?
- Falou.
- O que ela te disse?
- Que apenas se sente culpada por te ver assim tão mal, e que em nome dos velhos tempos faria qualquer coisa possível para te ver bem mais uma vez.
- Hm... O que lhe disse sobre isso?
- Não sei se quer ouvir isso.
- Sim, eu quero!
- Ok...  Bem eu lhe disse que a única coisa que ela poderia fazer para que você realmente ficasse bem era voltar para você.
- Boa, e o que ela disse?
- Que... Er... Isso não vai acontecer. – suspiro firme e fecho meus olhos. Ela realmente não quer me aceitar de volta, mesmo eu tido mudado.
- Então o que ela ainda faz aqui?
- Apenas quer cuidar de você, ela se sente culpada com tudo isso e só quer te ajudar.
- Se ela não vai ficar comigo, eu não preciso dela aqui, isso só vai fazer com que eu fique pior.
- Não vai te fazer pior, ela logo te fez se levantar daquele maldito sofá e ir tomar um banho. Agora você vai comer que vai precisar, eu já fui comprar um medicamento para a sua febre e dor de cabeça.
- Obrigado. – digo sorrindo para ele, eu realmente tenho o melhor amigo do mundo.
Não apenas Niall, todos os meus amigos, todos os apoios que eles me deram durante todo esse tempo, sempre aturando o idiota aqui que sofre por causa de uma mulher.
- Seus cabelos já estão seco, e não tem do que agradecer, é para isso que os amigos servem.
- Mas realmente, obrigado por me aturar.
- Deixa disso Harry, agora vamos voltar para aquela cozinha que quero comer. – ele diz já a sair do banheiro após terminar de secar meus cabelos e eu o acompanho, quando estamos próximos a cozinha ouço a voz de , ela parece animada no telefone e feliz com algo.
- Obrigada por ser compreensivo... Sei que nenhum outro em seu lugar faria isso... Te vejo mais tarde, te amo.
Era obvio que ela falava com aquele que a tinha beijado. Mas que merda, porque ela liga para ele enquanto está em minha casa?
Niall me olha como se sentisse pena de mim e vai a cozinha primeiro que eu.
Eu tento me tranquilizar para poder lhe encarar, eu sentia-me tão mal, cada vez pior.
Quando chego a cozinha está servindo Niall o que me faz revirar os olhos, como pode comer tanto?
Sento-me no banco ao lado de Niall, e também me servi. Ainda sentia uma tremenda dor de cabeça, mas os calafrios da febre tinham passado, por mais que meu corpo ainda permanecesse um pouco quente.
- Realmente tenho que comer isso?
- Sim, vai fazer bem a sua saúde. – ela diz de um jeito materno, eu suspiro e tomo a sopa mesmo sem vontade.
Mas com tanta a fome que estou eu acabo por repetir e Niall obviamente que também repete e só depois disso vai embora deixando-me ações com .
- Quer mais?
- Uma terceira vez? Acho que sim. – por mais que sopa não fosse um de meus pratos favoritos, estava realmente boa e minha fome era grande.
Ela põe um pouco mais em meu prato e após pegar o prato de Niall e por na pia, ela se junta a mim e põe um pouco para ela se sentando a minha frente.
Ficamos novamente no silencio constrangedor.
Eu tinha tanto que queria lhe perguntar, mas eu não sabia como o fazer. Não sabia que palavras usar a ela e como começar.
Não queria parecer mais um idiota do que já sou, já basta o quanto chorei em seus braços no dia do casamento de .
- Como ele se chama? – a maldita pergunta sai de minha boca antes que eu perceba, foi por impulso, e desejei que ela não o tivesse ouvido.
- Quem?
- Er... O cara a qual ama... O cara a qual lhe beijou a minha frente. – digo com os dentes trincados em raiva, enquanto termino minha refeição pela terceira vez.
Afasto o prato de mim e apoio meu braço na mesa inclinando meu corpo a frente para lhe observar melhor.
Ela suspirou deixando seus talheres de lado e olhou em meus olhos.
- Taylor, ele se chama Taylor.
- Hm... Onde ele está? Digo, nesse momento.
- No hotel, estávamos voltando para a França quando Niall me ligou desesperado dizendo que você estava queimando em febre. E eu vim para cá o mais rápido que pude.
- Como se importasse.
- É claro que me importo. – ela diz irritada, enquanto levantasse e tira os pratos da bancada. – Eu sempre vou me importar.
- Não é o que parece sabe. – digo tentando desviar meu olhar dela e focar em outra coisa, mas se torna difícil, a dor em dizer isto estava me incomodando.
- Se eu não me importasse não estaria aqui agora com você.
- Eu realmente não sei o que faz aqui se ama aquele cara.
- Porque eu me importo com você e quero o seu bem.
- Meu bem? – digo a rir. – Você me deixou quando eu mais precisava de você, eu mudei apenas para te ter de novo porque fui compreensivo e soube que eu realmente estava errado. Mas mesmo eu tido mudado, mesmo eu tido ido atrás de você por tudo o que é lado, você nunca, NUNCA, me deu notícias suas, nem para dizer que estava bem. E quando eu te encontro te vejo com outro, outro que chegou do nada e te beijou e acabo por descobrir que ele é o seu amor, o que me faz perceber que enquanto eu estive todo esse tempo sofrendo e tentando me tornar novamente o melhor para você, você devia estar a rir de mim né? Afinal me deixou, e ainda está com aquele cara, enquanto eu o idiota estava aqui sofrendo e a chorar.
- Eu sofri também Harry.
- Sofreu? Não me parece. – digo irritado, sentia irar e queria gritar com ela, mas estava me controlando para não fazer isso com ela. – Merda, duvido que tenha chorado como eu, duvido que se perguntasse como tudo teria sido se eu não tivesse arruinado tudo, porque eu sei, eu sei que fui o culpado disso tudo. Mas você dizia me amar, então isso dá o direito de você ter ao menos me dado a chance de melhorar, de ser o melhor para você, uma segunda chance sabe? MAS NÃO! NÃO O FIZESTE! Você sumiu, foi para outro país e amou outra pessoa tão rapidamente. Como se... Como se o que sentia por mim não foi nada.
- Harry... Pelo amor de Deus, não pense assim. Eu sofri muito por você, não imagina o quanto eu sofri. Mas eu não podia ficar te esperando a vida toda.
- A vida toda? EU FUI ATRÁS DE VOCÊ ASSIM QUE SAIU POR QUELA PORTA! EU PROCUREI AJUDA PARA TRATAR DE MEUS PROBLEMAS PORQUE EU QUERIA TE PROVAR QUE EU PODIA SER O HOMEM POR QUEM SE APAIXONOU MAIS UMA VEZ, MAS VOCÊ NÃO SE IMPORTOU COM ISSO! – grito com ela, já a perder a paciência.
Minha cabeça começa a latejar mais uma vez e eu me sento enquanto puxo meus cabelos o que só piora a minha dor. Eu tinha que ter adoecido?
Queria novamente descontar minha raiva em algo, não me importava se fosse em Taylor. Mas eu sou melhor que isso, eu não sou mais esse homem. Eu tenho que aprender me controlar como meu psicólogo disse.
- Toma isso. – ela diz me entregando dois comprimido e um copo de água. Eu os pego e tomo de uma vez, estava realmente precisando disso, ou a dor de cabeça me enlouqueceria. – Por favor... Fique calmo.
Ela sussurra estando atrás de mim, eu apoio minha cabeça no mármore gelado da bancada e suspiro.
Mas como ela podia me pedir isso com uma situação dessa? Ela não percebe que eu sofri? Que eu estou sofrendo.
- Acho melhor você ir para cama. – ela diz enquanto me faz uma massagem no ombro, sinto um alivio com isso, mas meu corpo se põe tenso com o seu toque inesperado. – Se você ficar desse jeito nunca podemos ter uma conversa de verdade, eu tenho muito o que te falar.
- Eu... Eu só não aceito que tenha me esquecido tão rápido.
- Eu não esqueci Harry... Eu não esqueci. – ela sussurra apoiando seu queixo sobre meu ombro após ter depositado um beijo na mesma área. Aquele pequeno gesto tinha me feito perder o ar. – Você está doente, precisa descansar. E eu tenho que ir... Prometo vim te ver amanhã.
- Não! Por favor, não! – digo, o pavor me toma em pensar de vê-la saindo dessa casa mais uma vez, por mais que ela diga que volte amanhã, por mais que eu esteja morrendo de raiva dela. É saudade que sinto, o sentimento que sinto e o medo de lhe perde falam mais alto que eu. – Fica aqui comigo, por favor.
Eu praticamente imploro a ela enquanto me levanto, ela apenas suspira e confirma com a cabeça.
Caminhamos juntos para o quarto, estava sendo estranho, principalmente quando me deito e peço para que ela fique ao meu lado. Ela esta meio insegura, mas se deita ao meu lado.
- É estranho te ter aqui comigo agora, aqui nessa cama. – digo a me cobrir com as cobertas. – Eu não tenho dormido aqui.
- Não? Então aonde dorme?
- No quarto de hóspede ou no sofá, mas não aqui, é estranho me deitar aqui sem você. – digo calmo, eu queria descontar a raiva que sentia com ela pelos últimos acontecimentos. Mas não consigo, porque o que eu mais queria era ela ali comigo, e ela estava.
- Ah... Acho que posso entender... Mas agora descanse, espero que quando acorde a febre esteja mais baixa.
- Aham... – digo olhando em seus olhos, ela acaba por sorrir e eu sorrio instantaneamente de volta enquanto me cubro.
- Não deve ficar sem camisa, isso vai ser pior. Onde está a camisa que levei para você?
-Acho que deixei na cozinha. – digo confuso.
- Vou lhe pegar algo que lhe esquente. – ela diz e se levanta. – Isso aqui está uma bagunça Harry, não consegue deixar as coisas em ordem?
Ela questiona e pega um moletom para mim, eu encolho o ombro sem lhe dizer nada enquanto ela joga o moletom para mim e eu o visto.
- Se deita comigo.
- Harry...
- Por favor, não vai acontecer nada. – digo querendo que ela volte para cama, e para a minha surpresa ela realmente o faz e se deita ao meu lado, eu a puxo para meus braços e aperto ela contra mim. Estava tão bom sentir seu corpo contra o meu, mesmo que apenas um abraço.
Eu fecho meus olhos e tento relaxar e adormecer, com ela ali ao meu lado.
E quando estou quase dormindo, ainda ouço ela dizer ‘Eu nunca te vou esquecer...’ e para a minha surpresa me beijar nos lábios. Eu fingi que estava dormindo, sabendo que ela só fazia isso por pensar que eu realmente estava.
Mas eu me sentir tão bem em sentir seus lábios contra os meus após tanto tempo, e isso me faz ter a certeza que nem tudo estar perdido e que eu ainda posso lhe ter.



13 comentários:

  1. Ta muito perfeito espero que continue logo ta muito fofuh to louca pra ler.

    ResponderExcluir
  2. Mds..... Continua Rápido Please

    ResponderExcluir
  3. Puta merda CONTINUAAA

    ResponderExcluir
  4. Cara tenho que admitir, MELHOR, MELHOR imagine que leio até agora, que a administração continue com esse ótimo foco, ótima história e nada de exageros ... Parabéns!! E CONTINUE O IMAGINE PFVR

    ResponderExcluir
  5. Ai q imagine cute ... continua aaaaa

    ResponderExcluir
  6. Quando vai postar? Posta amanhã? Por favor, você deveria postar cada 2 dias, quero q acabe logo e quero ver o final, taaa muito perfeito

    ResponderExcluir
  7. continuAAAAAAAAAAAAA

    ResponderExcluir
  8. Deliciaaaa quero continuação

    ResponderExcluir
  9. Eu vou bater nessa adm, posta logoooooo ahhhhhh

    Você deveria posta a fanfic e depois colocar embaixo o dia q vai postar a outra parte

    ResponderExcluir
  10. Você não vai mais posta? :(

    ResponderExcluir
  11. Todo dia entro e tá "continua" q tristeza, continua bixa

    ResponderExcluir

✖ Sugestões e críticas são bem vindas.
✖ Caso o script interativo não esteja pegando, informe, por favor.