Atalho Image Map

segunda-feira, 16 de junho de 2014

OneShot hot (Liam Payne) - First Time





Concedendo a mais um pedido, ai esta um oneshot com Liam.
Desejar a irmã do melhor amigo talvez não seja nada demais, mas as coisas se complicam quando ela tem apenas seus 16 anos e você 21.Seu desejo é recíproco? Seu melhor amigo o perdoaria? São dúvidas que Liam Payne quer tirar, e isso acontece após a primeira vez.

Boy Liam Payne.
Nome: First time
Autora: Débora
Classificação: +16
Aviso: insinuação de sexo.

Pode me chamar de louco ou o que for, mas eu tenho 21 anos e desejo uma garota de 16 anos. Ela é irmã casula do meu melhor amigo e veio morar aqui em Londres com ele faz 6 meses e está me levando a loucura com seu jeito ingênuo, a forma que olha sem malicia com seus olhos , seu sorriso encantador e atrativo, a forma que anda e que morde seus lábios carnudos quando está nervosa, seu jeito intelectual e como fica vermelha quando recebe um elogio, dando um pouco de vermelhidão a sua pele branca, tornando um contraste adorável.
Nesse momento dirijo até sua casa e sei que Gregory não estará lá, ele me disse que passaria o final de semana na casa da namorada e pediu para que eu fosse sempre a sua casa ver se está tudo bem com .
Ele a trata como uma menininha e eu a vejo como uma mulher, e sei que se ele souber disso nossa amizade acaba, mas é difícil me controlar com ela com seu corpo esbelto, quem lhe ver nunca diria que tem apenas seus 16 anos.
Chego à casa de Greg e estaciono meu carro. Eram 19h de um sábado e o tempo estava fechado, logo uma chuva forte cairia. Caminho até a porta em passos largos e apressados assim que chego toco a campainha.
Logo a porta se abre revelando com um sorriso maravilhoso que me faz sorrir de volta, ela é um pouco mais baixa que eu e lhe olho melhor.
Ela estava com seus vestis para dormir que era um curto vestido, se não fosse pelo tamanho, eu diria que era uma veste bem comportado, cobria bem seus seios fartos, e apesar de não ser provocante, me provoca. É como ela, é sexy mesmo sem querer, e é por isso que me atiça.
- Boa noite Liam. 
-Boa noite , eu te acordei?
- Ah não mesmo, apenas me banhei e como não tinha nada a fazer vestir minha roupa de dormir e iria estudar um pouco. Gosto de estar adiantada nos assuntos escolares.
- Isso é maravilhoso.
- Bem entre Liam. - a mesma diz enquanto me dá espaço para que possa entrar. Eu sorrio em agradecimento e entro observando a casa em ordem, provavelmente ela arrumou, Greg nunca deixa a casa arrumada nos finais de semana. - Meu irmão não está aqui.
- Eu vim por você. - ela para e me olha confusa, acabo percebendo na burrada que cometi ao dizer tais palavras. - Er... Ele pediu para que eu viesse ver como estas, sei que não é necessário você já é bem crescida, mas ele fez questão que eu viesse.
- Ele é sempre tão cuidadoso e preocupado, mas eu ligo para ele e digo que estou bem, obrigada por vim.
- Ok... Er você já jantou? - eu não queria ter de ir embora, mal cheguei, mas sabia que não poderia passar a noite ali como ela.
A questão não é a idade, afinal é apenas 5 anos mais nova, mas sim seu irmão que me mataria.
- Para falar a verdade, não e estou faminta.
- O que acha de eu pedir uma pizza para nós? - ela sorrir entusiasmada e confirma com a cabeça, eu logo pego meu celular e ligo para a pizzaria, peço sabor de Camarão ao catupiry por ser seu favorito e ela sorrir em satisfação. Acabei também por pedir um refrigerante também e enquanto nossa refeição não chegava ficávamos a conversar sobre como foi seu dia, ela passou a maior parte do tempo estudando, estava sentindo um pouco de dificuldade em química e biologia, e eu lhe ofereci ajuda.
Tive que insistir um pouco para que aceitasse. Ela dizia não querer me incomodar, mas acabou por aceitar e foi pegar seus livros de estudos.
Nossa pizza chegou e comíamos na sala de janta enquanto eu lhe explicava química. Ela era bem inteligentes e aprendia rápidos as coisas, o que tornava tudo mais fácil.
- Devias ser professor, ensina muito bem. E obrigada. - ela sorrir para mim enquanto fecha seus livros de química e pega os de biologia enquanto logo vamos para a sala e nos sentamos no chão próximos ao sofá.
- Não foi nada demais, se você sempre precisar de algumas aulas é só me chamar, adoraria sempre lhe ajudar.
- Muita bondade de sua parte... - ela abre o livro de biologia e fica procurando pelas páginas a qual quer. - Nessa matéria não é que eu não compreenda, a parte teórica é fácil, mas eu fico com algumas dúvidas e todos da sala parece entender bem, e eu bem... Fico confusa e tenho vergonha de perguntar ao professor. Já perguntei Greg, mas ele mandou estudar apenas o que o professor diz e que eu não devo saber nada a mais, que não tenho idade para isso. – ela diz enquanto revira seus olhos indignada com a atitude do irmão.
Estava começando a entender o que queria dizer, o que me interessou mais, adoraria tirar suas dúvidas desse assunto se for realmente o que penso.
- Seu irmão lhe trata como se fosse uma criança.
- Não só eles, meus pais também era assim quando morava com eles em Seattle. Mas eles têm que entender que eu já tenho 16 anos e estou me tornando uma mulher, não devo ficar desenformada dessas coisas, e todas garotas da minha idade sabe, menos eu porque sou privada disso.
- Ok, o que exatamente quer saber, eu não sou seu irmão e muito menos pai.
- Liam, se você não quiser não precisa responder tá? - ela diz enquanto fica vermelha, estava adorável com vergonha. Mas sorrio para ela e seguro em suas mãos enquanto lhe confortando, eu quero tirar todas suas dúvidas.
- Tudo bem, pode perguntar.
- Bem... Sobre sexualidade. - ela fala baixinho enquanto fico cabisbaixa querendo esconder sua vergonha, seus cabelos ficam um pouco a minha frente tampando seu rosto angelical. - O órgão masculino precisa ficar ereto para que seja introduzido no da mulher, essa ereção acontece quando ele é estimulado por ter nervos e o sangue correr com mais pressa. Até ai eu entendo. Mas como acontece essa estimulação, por que ouço comentários na sala que tem homens que se tocam sozinhos e ejaculam, não precisa da mulher para sentir prazer.
- Bem... Tem várias formas disso acontecer. Tem homens que ficam excitados apenas ao ser provocado por uma mulher, e até mesmo com troca de olhares. Mas a forma mais conhecida é quando a mulher envolve suas mãos neles e faz movimentos para cima e para baixo, e quando homem está muito necessitado por sexo faz isso sozinho até ter um orgasmo. Mas não é apenas homens que se tocam, as mulheres também fazem em si mesmo, mas para homens é mais normal fazer isso.
- Como as mulheres fazem? - eu suspiro olhando em seus olhos, ela me olhava atentamente observando cada palavra minhas.
- As mulheres podem fazer introduzindo seu dedo e fazendo movimentos de como deseja, entrando e retirando, ritmicamente. Ou simplesmente estimulando o clitóris fazendo movimentos circulares com os dedos.
- Hm... Entendo. Mas os homens, como realmente fazer os movimentos, deve apertar um pouco?
Por um momento pensei no porquê de ela querer saber tudo isso, se queria praticar com alguém, e acabei por sentir ciúmes com tais pensamentos. Tentei afastar esses pensamentos, não quero pensar nela com outro, porque eu não apenas lhe desejo, sou apaixonado por ela.
- Bem... Depende de cada um, tem uns que não gosta.
- Você gosta? - surpreendo com sua pergunta e fico um momento em silencio. - Desculpe-me por isso, eu não...
- Tudo bem, não foi nada demais, e sim eu gosto. Vou lhe ensinar como se deve fazer. - procuro por algo a nossa volta que possa utilizar a nosso favor até que vejo o controle, ele era meio arredondado.
Pego em suas mãos e percebo qual macias e delicadas são, logo meu corpo se acende ao pensar nelas me tocando.
Levo suas mãos até o controle e as ponho envolta no mesmo, com as minhas sobre a dela eu começo a fazer os movimentos e ela observava. Sua feição era confusa, e acabei por lhe perguntar o que era.
- Bem... Como o homem pode sentir prazer com isso?
- Você não imagina o quão bom é sentir isso. Podo parecer algo estranho agora, mas na pratica é uma maravilha.
- Na pratica? Hm... Acho que vou demorar a descobrir isso. - ela parece pensativa enquanto retira suas mãos. - A sensação de ter um orgasmo é boa?
- A melhor que existe.
Eu comecei a pensar em uma forma de lhe mostra isso, mas na verdade queria lhe fazer sentir isso.
Ela começa a fechar seus livros.
- Não tem mais dúvidas?
- Eu tenho. Mas deixa para outro momento.
- Posso te fazer uma pergunta?
- Claro. Já te fiz tantas. - ela sorrir adoravelmente enquanto ajeita seu cabelo o perdendo em um coque.
- Já viste um... Bem... - olho para o meio de minhas pernas a espera que ela compreenda, mas isso não foi uma boa ideia. Ela acaba por botar o volume a qual estou mesmo com a calça. Isso é apenas desejo por ela, era bom saber que eu poderia lhe ensinar muitas outras coisas na pratica, isso é excitante.
- Bem... Eu... - ela estava ainda mais vermelha. - Apenas imagens... Tipo as do livro.
- Sei que pode ser estranho isso, mas você quer ver como é na pratica? - seu olhar está em surpresa enquanto sua boca abri repetidas vezes, mas não soa nada
- Eu... Não sei se é certo.
- Você quer? - ela confirma com a cabeça. Mas eu queria ouvir de sua boca, ouvir seus lábios carnudos e rosados ao dizer que me quer. - Digas.
- Eu... Eu quero.
Ela pega seus livros e os põem sobre o sofá enquanto eu retiro minha camisa a jogando a qualquer lugar da sala. Começo a desabotoar minha calça enquanto ela se ajoelha ao meu lado que estou sentado no carpete da sala.
Seu olha observa ansiosa cada movimento meu enquanto abaixo minha calça junto a boxer. Assim que meu pênis aparece ela parece ainda mais vermelha e surpresa.
- Não pensei que fosse tão... Tao grande e grosso.
- Isso varia de homem à homem. Mas venha se aproxime um pouco mais.
Ela se aproxima passando suas mãos pelas próprias pernas, logo sei o que queres.
- Pode pegar.
- Hmm... Posso?
- Claro.
Suas mãos eram maravilhosas, tão macias. Mas estavam intimidadas, envolvi as minhas sobre a delas e lhe ajudei a movimentar assim que ela me toca.
Ao ela pegar o ritmo da coisa eu deixo suas mãos e ela faz os movimentos sozinhos. Meu corpo corresponde tão rápido aos seus toques, sinto meus batimentos cardíacos acelerar, e ela está apenas a me tocar. Como uma garota de 16 anos pode me fazer se sentir assim apenas com seus toques?
Eu sentia que estava quase por vim, seria a primeira vez que eu viria sem precisar do sexo em sim, nunca uma mulher me fez ter um orgasmo apenas com suas mãos. Isso me fez pensar em como seria ter seus lábios carnudos envolta de minha ereção, mas antes que eu possa pensar mais nisso eu acabo por fraquejar, enquanto meu pênis solta jarros de orgasmos em suas mãos.
- Desculpa.
- Não tem que pedi desculpa. – digo ainda com a respiração anormal, eu estava tento tranquiliza-la. – Seu jeito tímido e inocente me atrai.
Ela cora enquanto tenta se afasta, mas eu seguro em seu braço impedindo-a que se afaste de mim.
- Quer que eu lhe mostre como é na mulher?
- Não... Eu... Eu sou virgem.
- Sei disso, não vou lhe introduzir nada, apenas estimular... Se não gostar eu paro.
Ela para e pensa um pouco, mas logo ouço um baixo ‘sim’ angelical soar, um sorriso entusiasmado me atinge e eu vou até ela lhe fazendo se deitar no carpete.
Minhas mãos deslizavam por seu corpo admirando todas suas curvas, sua boca esta entreaberta enquanto sua respiração está um pouco apressada por nervosismo e excitação. Umas de minhas mãos ficam envoltas de seus seios, mesmo sobre sua veste, e os apertos, enquanto a outra desliza e levanta um pouco sua roupa de dormir expondo sua calcinha.
Eu sorrio para aquele pedaço de pano e penso em retira-lo, mas ela ficaria ainda mais vergonhosa, então deslizo uma das mãos por dentro de sua calcinha e vejo o quão molhada ela esta, eu fico ainda mais entusiasmado com isso e começo a estimular seu clitóris. Meus movimentos era precisos e variados, em movimentos circulares eu variava em lentos e rápidos, isso a fazia gemer.  Ah como esse som é maravilhoso.
- AH... Liam... Mais... Quero-te mais. – fico surpreso com suas palavras e lhe observo enquanto abre seus olhos e me olha em suplica.
- Posso por um dedo?
- Sim, por favor. – eu faço o que pede e introduzo um pouco o dedo, ela choraminga um pouco de princípio, mas pede que eu continue.

P.O.V.
Eu me sentia exposta, mas tão bem. Liam sempre foi tão encantador, seu jeito todo simpático, educado e carinhoso, e ele sempre me tratou como uma mulher, diferente de meu irmão.
Por mais que eu tenha apenas 16 anos, eu sou praticamente independente, fui muito bem formada e sei de tudo sobre a vida, meus pais sempre me cuidaram para ser uma grande mulher, mas me privaram do melhor prazer da vida. Amor.
Eu não sabia nada de relacionamentos, eu não sabia nada sobre sexualidade a não ser o que dá nas aulas de biologia, e eu por mais que tenha a cabeça no lugar e aja como mulher, não sei algo que é essencial.
E agora estou aqui, de uma maneira tão exposta para outro homem, como nunca estive em toda a minha vida.  Eu nunca se quer beijei alguém, e Liam agora está a me tocar, da melhor forma possível, sem ao menos ter me beijado.
Eu me sentia uma puta por isso, mas como não desejar um homem como Liam? 5 anos mais velho, mas idade é um detalhe, ele é incrível e eu o amo. Se for possível amar alguém em três meses, sim eu realmente o amo.
Minha mente vagueia por lugares que não sabia da existência, com pensamentos impuros, mas eu queria isto, oh sim como eu O queria.
- Vou por mais um. – sua voz sai rouca e baixa contra meu pescoço, enquanto ele tenta por mais um dedo. O incomodo volta novamente, mas a sensação de prazer me deixa fraca. Ah... Como é bom sentir seus dedos a se mover lentamente dentro de mim enquanto ele beija meu pescoço. – Oh ... Desejo-te tanto.
Meus olhos fecham enquanto minha perna fraqueja sentindo sensações desiguais, desconhecidas por mim, enquanto ele deposita seus beijos suaves por meu colo e continua a mover os dedos e estimular o clitóris.
A minha barriga aperta, e minha respiração fraqueja enquanto tento aperta algo, acabo por levar minhas mãos aos seus cabelos e os puxos enquanto sinto uma necessidade de tê-lo cada vez mais, e eu pedia, e pedia por mais, Liam só fazia me obedecer.
Eu sentia minha pele quente, parecia que estava em um estado febril, isso seria normal? Eu odeio não saber de nada. Meu corpo chegava a suar, mas nem tínhamos praticado o ato do sexo em si para se estar assim.
Sinto algo se contrair e eu acabo por gemer mais alto, a praticamente gritar pelo nome de Liam, e ele me olha satisfeito enquanto leva seus dedos até sua boca, posso assim dizer para sentir meu gosto, enquanto parece que meu corpo foi anestesiado e ele simplesmente relaxa. Minhas pernas ainda estavam meio trêmulas, e eu tombei a cabeça para trás desfrutando da sensação com a imagem de Liam com seus dedos na boca após me tocar. Aquela cena dele parecia errada, mas era tão sexy.
Liam acaricia meus seios sobre minha roupa e naquele momento eu odeio está tão vestida e ele simplesmente com nada.
- Tira.
- O que?
- Minha roupa. – ele me olha surpreso, mas mesmo assim o faz. Eu arqueio meu corpo para que ele possa retirar e sendo assim eu fico apenas de calcinha.
- Seus bicos ainda estão endurecidos. – ele diz enquanto acaricia meus seios agora exposto para ele. – Ainda está excitada?
Eu não sei exatamente o que lhe responder, mas percebi que não era uma pergunta retórica. Ele sabia a resposta.
- Gostou de ter um orgasmo? Gostou de saber como se fica excitado? Tudo isso acontece pelo fluxo de sangue que circula na área que se é toca, o volume aumenta.
Aquela sensação significou que tive um orgasmo? Oh céus, não pensei que pudesse ser tão bom. Fez-me tão bem, ele me fez bem.
Aproximo-me mais dele para me aninhar em seus braços. Isso seria certo? Se aninhar parecer ser tão íntimo.
Ah como sou idiota, acabamos de nos tocar e me preocupo com me aninhar a ele.

P.O.V. Narrador.
Liam se sentiu confortável ao se deitar sobre seu peito, a respiração da jovem ainda estava acelerada e seus cabelos todos espalhados pelos peitos do mais velho.
Ele sorri involuntariamente com isso e envolveu seus braços por seu corpo lhe apertando mais contra seu corpo e começa a afagar seus cabelos. Ele precisava lhe contar o que sentia, por mais que saiba que devia se considerar um homem morto por isso.
- eu... Não se assuste com o que vou te dizer... Mas eu estou completamente apaixonado por você.
Tais palavras faz com que a moça se levante e se sente com pressa e observou o rosto do rapaz a espera que ele começasse a gargalhar e dissesse que era brincadeira. Por mais que ela soubesse que Liam não faz essas brincadeiras, ela não conseguia acreditar que pudesse ser verdade o que acabou de ouvir.
- Isso é verdade?
- Sim, sei que seu irmão me mata se descobrir isso. Mas eu estou apaixonado por você. – ele apenas fecha seus olhos e suspira criando coragem para prosseguir, enquanto lhe observava, com os olhos a brilhar de esperança e paixão. – Eu sei que é loucura, mas não posso me privar de sentir algo tão verdade apenas por seu irmão não aceitar. Lembro-me bem que a primeira coisa que ele me disse quando vieste foi para me manter afastada de você, antes não me preocupei com isso porque pensei que você seria apenas uma garota irritante de 16 anos, mas quando eu te vi... eu me encantei, você é completamente diferente das outras e eu gosto disso. Gosto de seu jeito inteligente, tímido e inocente. E tem tantas coisas que eu poderia te ensinar, não apenas em relação a sexualidade, mas sobre amar, eu poderia te amar e te fazer se sentir amada como nunca antes, te mostrar como é sentir esse sentimento maravilhoso. E não me importo mais se seu irmão vá me matar ou fazer algo similar, eu só quero que saiba que eu estou apaixonado por você. Apaixonado por você.
Seus olhos brilham enquanto diz suas ultimas palavras olhando nos olhos de . E a única atitude que a mais nova tem é juntar seus lábios aos deles.

P.O.V.
Meus lábios se encaixam nos meus, e penso se estou a fazer a coisa certa. Mas a forma que meus lábios se encaixam nos deles me diz que é, e minhas mãos vagava por suas costas puxando seu corpo novamente para os meus.
Solto um gemido quando seu quadril se encosta aos meus e eu posso senti-lo excitado mais uma vez.
- Eu estou apaixonado por você. – ele repete sussurrando contra meus lábios, eu sorrio com tais palavras e ele me beija mais uma vez, dessa vez mais voraz e eu sinto sua língua contra a minha, mandando uma corrente elétrica a meu corpo, se sentindo cada vez mais necessitada por ele. Isso me faz pegar suas mãos e levar até minha parte intima, ele sorrir cortando o beijo e se afasta olhando em meus olhos. – Quer sentir novamente?
- Sim. – tenho a certeza que estou vermelha ao confessa que quero que ele me faça se sentir daquela forma mais uma vez.
Ele me toca sobre o tecido da calcinha que está tão úmida e me dá um beijo, apenas um breve encostar de lábios.
- Posso tirar? – confirmo com a cabeça enquanto seus lábios vão traçando um caminho de beijo até chegar a minha calcinha, ele olha para todo meu corpo e sorrir. – Tem um corpo tão belo.
Pensei que não fosse possível ficar mais velha, mas eu fiquei com seu comentário, enquanto ele desliza minha calcinha por minhas pernas.
- Vou te fazer se sentir como nunca antes. – ele diz enquanto meu coração acelera em pensar no que vai fazer. – Afaste um pouco as pernas. – o obedece um pouco constrangida, mas ele não parece se importa com a situação. Talvez por estar tão acostumado, isso me deixa enciumada. -  Quero te sentir mais... Eu posso te provar? Posso te fazer um oral?
- Sim.
Ele se abaixa pondo sua cabeça entre minhas pernas, novamente estou tão exposta sobre ele, mas a forma com a qual sua língua traça um caminho de abaixo de meu umbigo até meu sexo me parece sexy.
Choramingo ao sentir sua língua fazendo pressão lá, não pensei que pudesse ser tão bom, sua língua é tão hábil, e me faz se contorcer abaixo dele, novamente minhas mãos estão apertando e puxando seus cabelos, enquanto estou a gemer seu nome.
Sua língua está lá, no local mais sensível de meu corpo, e céus, isso é alucinante. Seus dedos se juntam a língua e isso só me deixa pior, ah... são tão maravilhosos.
Uma dor me incomoda, ele introduziu-o novamente um pouco seu dedo, isso me faz gemer um pouco mais alto, mas quando a dor vai cessando ele o põem por completo e começa a movimenta-lo enquanto sua língua continua a me estimular.
Seus dedos estão cada vez mais lentos, e eu quero mais que isso e o peço, ele faz um pouco mais rápido e isso é demais para mim, não aguentaria por tanto tempo. Nunca pensei que pudesse ser tão maravilhoso.
Sua língua está a fazer mais pressão e seus dedos volta a lentidão de antes. O ritmo de sua língua em contado com aquele lugar é demais, e eu mais uma vez tenho um orgasmo que me deixa sem ar, com pernas bambas. Não poderia ter sido melhor. E eu puxo seus cabelos enquanto grito por seu nome.
- Oh Liam! – com a falta de ar, por um momento me sinto fora da realidade. Tudo aquele é realmente possível se sentir? Parecia surreal.
Fecho meus olhos enquanto recupero o ar e tranquilizo a respiração. Eu não estava acreditando que aquele realmente estava acontecendo.
Quando abro meus olhos eu vejo os seus olhos castanhos a me observar, ele está com um sorriso fofo nos lábios e eu não resisto e me inclino para beija-lo. 
- Gostou?
- Ainda pergunta? Isso é incrível. – digo enquanto me sento e me encosto no sofá. Me sentir constrangida ao estar sem roupa e sentada de frente a ele.
- Fico feliz que tenha gostado.
Após suas palavras ficamos em silencio, eu lhe observei um pouco e pude ver que ainda estava excitado. Tive vontade de lhe retribuir o que fez por mim, mas não queria lhe tocar, eu queria... Eu o queria sentir.
- Tem algo que possa fazer por você.
- Ah... Não, não é necessário.
- Mas à algo que quero.
- O que?
- Você.
- Eu?! – ele se espanta, mas já esperava por tal atitude. Apenas me aproximo mais e toco seu rosto, sua barba está lá, ralinha e o torna adorável.
- Sim você... Compreende?
- Sim, mas tem certeza?
- Com quem mais poderia ser? Eu sou apaixonada por você e você disse que também é... E eu nunca quis tanto alguém.
Ele me observa em surpresa pela primeira vez na noite dizer que seu sentimento por mim é reciproco.
Seu sorriso em seguida me faz sorri de volta, e ele me puxa para seus braços me beijando. Estou sentada em seu colo e levo minhas mãos até sua ereção, por instinto começo a movimenta-la para cima e para baixo como me ensinou. Seus lábios se afastam dos meus e ele gemi próximo a meu ouvido, aquilo me deixa louca, e beijo seu pescoço quando ele joga sua cabeça para trás. Eu beijo e sugo a aria, deixando-a vermelha.
- Não me faças vim assim. – ele diz e eu vou parando os movimentos, apressado e ofegante ele se afasta de mim e pega sua calça. – Deite-se, por favor.
Ele volta com uma camisinha em mãos, suspiro aliviada com isso, e ele fica entre minhas pernas a qual o mesmo afastou.
- Tem certeza que quer isso?
- Sim Liam, eu quero. – ele confirma com a cabeça e abre a camisinha, ele logo põe enquanto lhe observo. Estava nervosa sobre isso, eu queria, mas já tinha ouvido que primeira relação sexual dói, e ao ele introduzir seus dedos doeu, imagine agora... Bem, dá para entender.
Ele olha para mim e dar um sorriso confortante, suas mãos vão até minha intimidade e seus dedos me toca mais uma vez.
- Está bem molhada, torna mais fácil. – confirmo com a cabeça. E ele se posiciona sobre mim, ao sentir seus lábios contra os meus em um beijo lento e maravilhoso, eu sinto sua ereção na entradinha. – Eu vou divagar, mas vai doer, se ficar muito incomodo diga, apenas grite e eu paro.
Confirmo com a cabeça, não estava em condições de processar algo para lhe dizer.
Ele beija-me enquanto tenta introduzir, isso me arrepia e aperto suas costas, ele logo para e me olha.
- Continuo?
- Por favor. – minha voz sai tremula, mas ele prossegue.
Ele pressionada um pouco mais, e volta a me beijar, o incomodo é grande, mas eu não quero que ele pare por mais que seja desconfortável.
Quando ele põe mais um pouco eu choramingo e fecho meus olhos com força enquanto aranho suas costas.
- Ah... Está tão aperta e quente. – ele geme enquanto se afunda um pouco mais. Lagrimas se formam em meus olhos e ele está a me beijar por todo o canto. – Quer que pare.
Nego com a cabeça, e seus olhos brilham enquanto me observa.
- Posso ir mais? – confirmo com a cabeça, tenho a sensação que a qualquer momento vou chorar quanto ele se afunda completamente. Ele para um pouco, minha respiração esta acelerada, assim como a dele. Sei o quanto está a se controlar por mim, e o agradeço mentalmente por isso. – Posso me mover?
- Si... Sim. – finalmente pronuncio algo, e ele tenta se mover lentamente, a dor estar presente novamente e fecho os olhos com mais força deixando algumas lagrimas escorrerem.
Ah... mas da mesma forma que tem a dor tem o prazer, que a cada momento que ele se retira e volta fica mais forte.
Sinto os músculos de suas costas se contraírem a cada investida sua, eu acabo aranhando com força a aria.
A dor quase já se não é mais sentida, sinto sua respiração acelerada e quente contra meu pescoço... Ah... Como isso é bom.
Meus gemidos estão cada vez mais presente, liam afasta seus rosto de mim e quando abro meus olhos ele está me observando, seus movimentos são um pouco mais precisos e o suor está em seu rosto, seu cabelo todo bagunçado e isto é incrivelmente sexy.
É possível eu lhe amar? Céus, eu me sinto como se amasse esse homem. Mas só o conheço a três meses e todas conversas que tivemos eram rápidas por meu irmão está sempre presente e interrompendo.
Percebo o quanto ele esta se controlando por mim, tentando manter um ritmo lento, como também posso ver o brilho em seu olhar, posso ver paixão, amor e luxuria.
A dor não se era mais sentida, mas ainda tinha um certo incomodo.
- Ah Liam...
- Não vou... Aguentar. – ele diz entre um gemido. Aperto suas costas, eu sinto todas aquelas sensações novamente, estou quase lá também.
Seus músculos se contraem contra meu contato e ele se inclina e encostas seus lábios nos meus.
Ah... Finalmente, finalmente eu me liberto, me sinto ainda mais fraca que as outras vezes. Liam move-se mais duas vezes e seu corpo fica tenso caindo sobre o meu. Seu peito sobe e desce enquanto sua respiração está muito acelerada. Ele tenta equilibrar seu corpo sobre mim e me beija, minhas mãos vão até seus cabelos molhados pelo suou, toda a nossa pele estava suada, mas toda a sensação era maravilhosa.
Ele se joga ao meu lado com os olhos fechados, após se livrar da camisinha.
Ficamos um ao lado do outro se recuperando do sexo, nossa... Como pode ser tão bom?
- Esta bem?
- Estou.
- Foi bom?
- Maravilhoso.
- Alguma dúvida sobre o que lhe expliquei? – seu sorriso e olhar estão em divertimento, e eu acabo por rir disso.
- Sim, acho que vou precisar de mais aulas. – ele se junta a mim nas gargalhadas, mas logo fica serio.
- Dói? – ele murmurou em preocupação, sorrio com seu cuidado.
- Porque faz tantas perguntas?
- Estou preocupado. – ele diz enquanto sorrir e se senta. – Me responda.
- Um pouco... Mas como foi para você?
- A melhor. – ele sorrir me confortando, parece dizer a verdade, mas não acredito em suas palavras, ele já teve tantas, porque uma inexperiente seria a melhor? – Sei o que está pensando, e digo a verdade. Sabe porque é a melhor? – nego com a cabeça e ele se aproxima. Segura meu rosto com umas mãos em cada lado de minha bochecha fazendo-me olhar em seus olhos. – Eu te amo.
Sorrio para ele e o beijo, o beijo com tanto amor. Este homem maravilhoso aqui me ama, como isso é possível?
- Eu também te amo.
Ouvimos um barulho na porta interrompendo nosso clima amoroso, e me desespero assim que olho na direção da mesma e vejo Greg.
Seu olhar transborda fúria e ele vem em nossa direção.
- Mas que porra está acontecendo aqui? – eu me encolho enquanto Liam se desespera e começa a pegar suas roupas. O olhar de Greg passa por todo o cômodo, olhando nós desnudos, as roupas espalhadas e a camisinha usada. – O que disse a ela para que abrisse as pernas para você?
- Não é bem assim Greg. – diz Liam enquanto põe sua calça. Eu estava sem reação, apenas encolhida no carpete da sala.
- NÃO?! EU TE PEDIR PARA QUE VIESSE CUIDAR DELA E NÃO TRANSAR COM ELA.
- Calma Greg podemos conversar.
- levantasse daí agora! – eu tento me levanta, mas estava dolorida e doía mais quando o fazia, então me mantive sentada. Liam foi até minhas roupas e a pegou, eu me vestir e me mantive sentada.- EU MANDEI SE LEVANTAR!
- Não posso.
- Porque não? – apenas dou de ombro e ele olha raivoso para liam. – você a machucou? Você a forçou?
- NÃO! – dizermos juntos, mas Greg olhou para a mancha de sangue no carpete e parecia não acreditar nisso.
- Pare com isso Greg não fizermos nada demais.
- NÃO? VOCÊ TRANSOU COM ELE!
- E DAI? SEXO É NORMAL.
- NÃO FALE ASSIM.
- EU FALO COMO EU QUISER.
- VOCÊ NUNCA LEVANTOU O TOM PARA MIM!
- POR FALTA DE VONTADE NÃO FOI, QUE SACO! – exclamo enquanto me levanto, tendo de ignorar o incomodo eu abraço Liam e ele corresponde ao abraço me apertando contra seu peito. – Eu gosto do Liam.
- Mas ele só queria transar com você.
- Não Greg, eu amo ela. Tente entender isso, eu nunca faria nenhum mal a sua irmã.
- Você só quer transar com ela, e quando se cansar dela como sempre acontece com as outras que já teve, vai descarta-la. – ele diz entre dentes enquanto se aproxima com o punho fechado. – Afaste-se dele .
- Gregory você não manda em mim.
- Não mando? Nossos pais lhe mandaram para você ficar aqui sobre meus cuidados. Eu mando em você enquanto estiver aqui.
- Eu saio daqui.- ele rir de mim.
- E vai para onde? Para rua? Sabe o que eu vou fazer? Lhe mandar de volta para Seattle.
- Não! Eu vou ficar com o Liam. – um pavor bateu em mim e me apertei mais contra o corpo do Liam, mas por um momento me perguntei se ele vai me querer com ele.
- Liam não vai lhe querer, ele só quis lhe usar.
- Eu sei que não. – minha voz estava tremula, a vontade de chorar crescia cada vez mais, mas não queria me desfazer em lagrimas a sua frente.
- Não? – meu irmão rir sarcasticamente de mim, eu só queria que ele dissesse algo, que me defendesse e dissesse que vai ficar comigo. – Diz a ela Liam, Liam que você só quis tirar a virgindade dela e agora vai largar ela.
Sinto o corpo de Liam tenso enquanto minhas primeiras lagrimas começam a escorrer, ele se mante calado enquanto meu irmão rir cada vez mais, como ele pode ser tão mal?
- Está vendo, Liam lhe fez de idiota, ele te usou.
Liam se afasta de mim e segura em cada braço meu me fazendo olhar em seus olhos, minhas lagrimas escoriam livremente enquanto ele me olha, eu chegava a soluçar com tanto choro.
- Preste atenção, faça a suas malas e venha morar comigo. – me assusto com suas palavras, ele realmente permitiria que eu ficasse com ele? – eu amo você, amo mais que tudo, eu nunca me sentir assim antes, se seu irmão que é meu amigo não aceita isso e rir de nossa cara eu não me importo, assim que chegarmos a minha casa você liga para seus pais e diz que está comigo.
- Ela não vai sair daqui!
- Cala a boca Gregory e deixe de ser um idiota, não ver que está lhe fazendo chorar com essas palavras? O único idiota aqui que está fazendo ela sofrer é você com tais palavras arrogantes e a tratando com desdem, e você me conhece sabe que eu nunca a faria mal, que eu nunca faria mal a nenhuma mulher principalmente quando a amo. Devias estar feliz que sou eu que ela ama, foi a mim que ela se entregou e não a nenhum moleque idiota que queria se aproveitar dela, eu tenho certeza que o quão bela ela é muitos dos garotos de seu colégio queria estar em meu lugar, mas diferente de mim, eles realmente fariam tudo o que disse. Então comemore que sou eu aqui, comemore que é a mim que ela ame e aceite isso porra!

Liam P.O.V.
Ele fica surpreso com minhas palavras, enquanto ao meu lado sorri e após me dar um beijo na bochecha sai correr subindo as escadas.
Eu e Gregory ficamos em silencio um encarando o outro. Até que volta com suas malas.
- Você vai com ele?
- Vou.
- Se sair por essa porta eu não lhe perdoou e faço nossos pais ficarem com raiva de você. – eu o olho com ódio e com pena e medo, pensei que fosse desistir de ir comigo, mas ela apenas suspira e diz.
- Adeus, eu sei que não cometi nenhum erro e você que me deve desculpa, você sabe aonde me encontrar. Mas eu não vou ficar aqui com você enquanto não aceitar o que sinto por Liam.
- volte aqui! – o ouço gritar enquanto saímos de casa. – Eu nunca vou perdoar você Liam!
Abro a porta de meu quarto e olho para trás vendo Greg na porta de sua casa. entra no carro e eu ponho as malas no mesmo para em seguida entrar também. Juntos olhamos mais uma vez para a casa e vemos Greg bater com força com a porta enquanto entra em casa.
Ela olha para mim e mais uma vez cai em lagrimas.
- Hey babe fique calma, vai da tudo certo, ele vai perceber que o errado é somente ele e vai te pedir perdão. – digo enquanto lhe consolo a abraçando forte.
- ele é muito esquentado não vai me ‘perdoar’ e vai dizer tudo a nossos pais que vai ficar do lado dele.
- Você não fez nada de errado, então vamos para minha casa você dormi para relaxar um pouco e amanhã ligamos para seus pais. Eles vão compreender.
- Eu espero que sim.
- Hey... O importante é que eu te amo.
- Eu também te amo. – selo nossos lábios mais uma vez e finalmente vamos para a minha casa que agora passaria a ser a nossa casa.

17 comentários:

  1. Porra... Desculpa aí pelo palavrão, mas tá muito perfeito cara.. Parabéns de coração. Tá muito perfeito! Amei!

    ResponderExcluir
  2. Ual *-* tem muito talendo

    ResponderExcluir
  3. Ual *-* tem muito talendo

    ResponderExcluir
  4. Ah será que esse imagine pode ter continuação por favor ?

    ResponderExcluir
  5. Melhor imagine hot fofo do Liam que já li. Ameii

    ResponderExcluir
  6. O.O MEU DEUS... Que PERFEITO!! Você escreve muito bem, amei o imagine. xx Nath

    ResponderExcluir
  7. Perfeito �� tem continuação?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho muita vontade de fazer, mas não tenho muito tempo ultimamente, tento entrar aqui e nunca consigo. Já q estou de ferias passarei a postar.

      Excluir
  8. Amor posta uma continuação pra esse imagine ele é muito pft e eu ja li umas 15 vezes e em todas eu amei e nao canso de ler, por favor posta uma continuação! ♡

    ResponderExcluir
  9. Aí que lindo amei ������������������

    ResponderExcluir

✖ Sugestões e críticas são bem vindas.
✖ Caso o script interativo não esteja pegando, informe, por favor.