Atalho Image Map

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Imagine Hot (Harry Styles) - Gay? #ESPECIAL








Boy Harry Styles
Nome: Gay?
Autora: Débora
Gênero: Comedia
Classificação: +18
Restrição: Insinuação de sexo e palavras de baixo calão.

0 11º pedido feito anonimamente, sem dúvida alguma foi engraçado escrevê-lo, quem fez o pedido queria algo cute, engraçado e hot, eu acredito que não esteja tão engraçado, mas hot e cute pode ser.


Não a nada melhor do que estar sozinha em casa, a pessoa se sente livre a fazer o que bem quiser. E por isso eu acabo de sair de meu banho e estou como louca a dançar pelo corredor apenas de toalha.  Mas apesar de estar dançando por estar sozinha, pode ate soar irônico, mas estou apenas comemorando porque em breve não estarei mais.
Meus pais estão sempre a viajar a negócios e por isso estou sempre sozinha em casa, isso é tão tedioso. Mas graças a Deus eu tenho a Harry, meu melhor amigo gay.
Levo um baita de susto assim que vejo Harry sentado em minha cama, acabo por soltar um grito e colocar a mão sobre o peito, eu tinha esquecido que deixei a chave em um lugar secreto para quando ele chegar entrar logo e não ser preciso eu ter de me levantar.
- Eu nunca vou me acostumar com você surgindo no nada. – pego uma almofada que fica sobre uma poltrona branca em meu quarto e jogo nele que a agarra e rir.
- É sempre divertido.
- Chato!! – o mostro a língua enquanto caminho até meu armário. – Sinceramente eu devo pedir aos meus pais um closet, e bem grande, essa coisa aqui já não cabe mais minhas roupas.
Digo e jogo tudo no chão, a forma mais pratica de encontrar o que quero.  Harry está apenas a me observar sei disso.
- Você e seu desejo compulsivo por compras. Não existe motivos para tantas roupas, não vai usar tudo isso e os dois sabemos que a maior parte ainda não usou.
- Verdade, mas quando e estar no tedio não a nada melhor que fazer compras. – viro-me para poder olhar para ele e não me importo quando a toalha cai de meu corpo me deixando nua a sua frente. – Você é meu amigo gay, deveria de concordar com isso e ficar feliz por gostar de compras.
- E você não devia ficar pelada na minha frente, não mais.
- Porque não? – arqueio uma sobrancelha. – Não tem nada que já não tenha visto, e você é gay, o que poderia acontecer? No máximo você ficar com inveja de meu corpo.  - Digo enquanto passo as mãos por minhas curvas e ele rir. – Vai Harry pode confessar, sei que queria ter o meu corpo.
- Quem não queria ter essas curvas e seios? Tão redondinhos, nem tão fartos nem pequenos, a medida exata. – eu gargalho com o seu olhar em meu corpo, quase como desejo carnal, por um momento até parece hetero, se não já o tivesse visto com outro homem diria que não era gay.
- Ok, Ok Harry. – digo voltando minha atenção para minhas roupas. – O que vamos fazer hoje?
- Você decide.
- Vamos apenas ficar em casa mesmo, não estou afim de sair. – digo por fim enquanto abro minha gaveta de peças intimas e pego um par de calcinha e sutiã lilás com renda preta da Victoria Secrets.
Depois de os vestir ficando apenas com minhas peças intimas eu arrumo meu armário, na verdade pego tudo que joguei, o que foi inútil, e agora coloquei de volta no armário, sem me incomodar de arrumar em ordem.
Quando olho para Harry o mesmo esta deitado em minha cama, parece longe em pensamentos então corro até ele e me jogo ficando encima dele.
- Então vamos conversar?
- Algo me diz que isso não será bom. – ele me olha desconfiado enquanto me sento sobre ele, um pouco acima de sua virilha.
-  vamos falar sobre sexo.
- Sexo?
- É algo que todo mundo gosta e é sempre bom falar, muito mais fazer. Se você não gosta devo deduzir tem algum problema.
- Não é isso, é que... O que falaríamos sobre esse assunto?
- Tudo, vai me diz Harry, no sexo você é passiva ou ativa?
- É estranho falar sobre isso com você.
- Porque? Somos melhores amigos.
- Exatamente, isso que torna estranho.
- Harry amigos contam tudo um ao outro, o que tem demais de dois amigos falar sobre sex?
- Tudo bem, você que sabe.
- Harry... Antes, tira a camisa. Quero vestir ela, gostei dela. – ainda eu seu colo eu tiro meu sutiã deixando exposto para ele, ele pisca algumas vezes ainda surpreso até tirar sua camiseta preta, um pouco transparente, e eu a coloco.
A camisa por ser um pouco transparente ainda o permitia ver meus seios rígidos, que ate então não compreendo sua rigidez.
- Então Harry me responde.
- Er... Ativa sou ativa.
- Certo, ao menos isso né Harry? Tem que ser o homem da relação. – digo lhe dando um tapa no ombro, e o movimento que faço faz com que eu impulsione e volte meu corpo o que me faz sentir sua ereção a se formar, isso de certa forma me agrada até demais. – Mas me diz Harry, você gosta mais agressivo ou carinhoso?
- Foder forte claro, agressivo, bem agressivo. – ele diz, mas logo ruboriza.
- Vergonha de quer?
- De estar a te contar isso.
- Harry crescermos juntos, não tem porque ter vergonha. Também gosto do mesmo jeito que você... – digo com um sorriso malicioso nos lábios enquanto fecho meus olhos e fantasio um momento com Harry. – Amo quando o homem me pega de jeito e me fode sem pena alguma.
- Não esperava por isso, você tem um jeito inocente.
- Digamos que no sexo eu viro outra pessoa. – digo abrindo os olhos e encarando suas íris verdes. – Você já transou com um mulher?
- Não, sabe muito bem que sempre gostei de outra coisa. – acabo por entender, gostamos da mesma coisa, mas isso chega a ser frustrante, afinal o que ambos gostamos ele tem.
- Tem curiosidade de saber como é? Ou Já ficou excitado por uma mulher?
- Não. – ele diz curto e grosso, mas eu sorrio divertida com sua respota.
- Sabe não é exatamente isso que seu amigo aqui em baixo diz. – digo enquanto levo minhas mãos até ele e o aperto sobre a calça de moletom que ele estar a usar, ele sempre vem aqui em casa assim para ficar mais à vontade.
- Não devia fazer isso .
- Porque não se você diz uma coisa e seu corpo outro? – posiciono-me um pouco mais abaixo e passo a mover meus quadril o provocando. Seus olhos instantaneamente fecham e ele solta um urro, estou simplesmente satisfeita com isso, é a cena que sempre desejei. – Faça o que seu real instinto quer.
Eu o digo e ele abre seus olhos, seus olhos estão em puro desejo e isso joga uma carga elétrica em meu corpo, deixando-me mais excitada, porque sim, eu estou excitada.
Suas mãos instantaneamente passam pela borda da minha calcinha enquanto ele se inclina e encosta contra a cabeceira, seus dedos traçam uma linha por meu corpo me deixando arrepiada sentindo seu toque áspero em minha pele macia, meu corpo estar ainda mais perto do seu com a nova posição, e isso me faz sorrir como boba.
- Eu não queria isso, deixa-me confuso. – ele diz e eu o olho atentamente em seus olhos procurando mais respostas. –Eu te desejo para caralho e isso não é certo.
- É, é certo Harry, somos de sexo oposto e o certo é isso se atrair, sexo oposto se amar e desejar. Não tenho nada contra homossexuais, mas esse é o verdadeiro desejo, a vida deveria ser apenas assim, um homem e uma mulher.
- Não me de lição de moral por desejar homens.
- Não estou dando, apenas não se negue a sentir o que é de seu instindo. – movimento um pouco mais meu quadril, sentindo sua ereção dura que me deixa molhada ansiosa para recebe-la.
- Eu sei... – sua voz sai abafada por ele deposita um beijo em meu pescoço. – Odeio saber que estar certa...  Move-te, move-te mais.
Ele pede em um sussurro e eu o faço, movimento meu quadril o atiçando enquanto suas mãos deslizam por minha barriga até meus seios, onde eles os aperta. Ele levanta a cabeça e olha em meus olhos com desejo, é apenas pura luxuria seu olhar.
Seus dedos fazem círculos em meus mamilos as vezes os apertando e puxando.
- Eu estava com medo. – ele confessa.
- De quer?
- De me entregar ao desejo que sinto por você. – suas palavras me pegam desprevenidas e eu instantaneamente levanto seu rosto e junto nossos lábios.
Sua língua desliza para minha boca ansiando por aquilo, e agora ambas se tratam como velhas amigas, apesar de nunca se terem encontrado dessa forma. E o beijo era prazeroso, era com a luxuria que sentíamos, com direito a mim puxar seus cabelos enquanto ele morde meus lábios.
- Tem sido difícil controlar isso. – ele movimenta seu quadril e eu gemo ao sentir sua ereção bem em meu sexo apesar de ambas estar protegidas. Sua respiração quente bete contra meus rosto ao sussurrar as palavras, sua boca ainda estava tão próxima da minhas que seus lábios roçavam nos meus.
Suas mãos quente passeiam por meu quadril até ele se livrar de sua camisa que estou a usar, exposto meu corpo mais uma vez para ele. Seu olhar praticamente atar brilhando quando ele envolve meu seios mais uma vez e sua língua encontra a minha novamente. Em um beijo tão urgente quanto o outro.
Uma de suas mãos sai de meu seios e vãos aos meus cabelos a qual ele puxa fazendo jogar a cabeça para trás lhe permitindo traçar uma trilha de beijos e chupões até meus seios. Arqueio meu corpo para trás lhe permitindo mais acesso aos meus seios, e ele sorrir contra minha pele.
- Não imagina o quanto quero isso. – ele diz antes de avançar realmente em meus seios, ele parece desesperando e um tanto desengonçado, sendo sua primeira experiência com uma mulher, isso me excita mais. Meu corpo estava em chamas com seu contato, estava a ser melhor do que tudo que imaginei em minha vida junto a Harry.
Afasto-me um pouco dele e ele fica confuso, o que o deixa adorável em meio aquilo todo.
- o que foi? Estou a fazer errado?
- Não, na verdade o fez muito bem. – digo deslizando minhas mãos por seu corpo passando por cada tatuagem, da borboleta que sempre dissera ser broxante, mas que naquele momento não me incomodada, até as planas no caminho da felicidade. – Mas eu também quero fazer algo.
Afasto-me mais dele e minhas mãos ficam na barra de sua calça de moletom, ele me olha malicioso já a entender o que quero.
Quando me livro de suas ultimas peça admiro sua ereção, não é surpresa, já o tinha visto sem roupa outras vezes, mas mesmo assim estava tão ansiosa para ter tudo aquilo em mim, sem falar que assim ereto é bem maior que normal como já o vi, chegava a ser surpreendente.
Aproximo minha boca de sua ereção na intenção de tocar sua pele, mas ele me impede e antes disso envolve sua ereção e bombeia bem próximo a meu rosto, eu sorrio o olhando com admiração até que ele a empurra em minha boca bem lentamente, e fecha os olhos enquanto solta um suspiro em satisfação.
Estou posicionada com uma mão de cada lado de seu corpo para sustentar o meu enquanto movimento a minha boca, ele gemi meu nome de forma rouca quando o alcanço tão fundo e volto ao topo onde passo a língua em provocação e repito tudo de novo.
- Oh... Sim. Sim.... – sua voz sai bem baixa e observo seu corpo se contraindo, eu o olho nos olhos quando ele abre os dele e olha para mim, sua feição é de puro prazer, e isso está ame excitar e me deixar louca. Chupo ele até que minha boca desliza novamente e sinto suas pernas meios tremulas, sabia que ele estava aguentando por pouco.
Ele movimento o seu quadril para mim ajudar e eu me apresso para o proporcionar mais prazer, ele aperta os olhos com força e sua boca estar entreaberta a omitir alguns sons tão sensuais.
- ... ... É tão boa! – suas palavras estão desesperada e eu o sinto se contrair, sem que ele vai se vim, mas antes disso ele envolve meu cabelo e puxa meu rosto para longe de sua ereção. – Eu quero que isso aconteça em você.
São suas últimas palavras antes de me puxar e me deitar na cama, em poucos segundos ele estar sobre mim a se livrar de minha calcinha de forma desesperada e desengonçada, que me faz o ajudar.
- Camisinha...
- Foda-se, quero te sentir. – é o que ele diz antes de investir em mim, meu corpo arqueia com a invasão inesperada, porém muito desejada.
Seus movimentos são brutos e agíeis como ele dissera que gosta, e eu estou amando isso. Minhas mãos deslizam por suas costas o ranhando e cravando em sua pele, pouco me importava se marcaria ou sangraria.
Eu gemo seu nome quando ele me atinge mais intensamente, minhas pernas já estão trêmulas em pouco tempo, enquanto o aperto mais e uma de minhas mão vão a seus cachos o puxando. Minha boca estava próximo a seu ouvindo onde eu gemia seu nome, e sua respiração batia contra meu pescoço onde ele sugava a pele.
- Isto é bom para caralho... Porra! Tão... Tão apertada e quente... Não vou aguentar! – ele parecia desesperado, seus movimentos eram brusco e eu estava adorando aquilo, arqueio uma perna e envolvo nele para o ajudar nas intensificadas.
- Eu... Oh... Vou me vim! – digo e ele intensifica mais, coisa que pensava ser impossível, mas logo sinto minhas pernas trêmulas e meu corpo se contrair, estava à beira de um orgasmo deslumbrante. Minhas respiração estava acelerada, meu corpo suava e eu podia ouvir o barulho de nossos corpos se chocando. Era maravilhoso.
Com pena de suas costas e cabelos eu puxo os lençóis com força quando não aguento mais, com seus movimentos habilidosos e incansáveis, atingindo-me tão profundamente. Ele se inclinou um pouco mais e a forma que se afundou em mim ao meu tempo que roçou meu clitóris foi o suficiente para não aguentar e gritar seu nome, pouco me importo se alguém poderia ouvir, eu estava sentindo o prazer inexplicável, inigualável... E foi ao mesmo tempo, ao mesmo tempo que me satisfazia ele me preenchia também em satisfação.
Seu corpo se inclina sobre o meu, sua respiração acelerada sinto seu peito subir e descer contra o meu, sua cabeça está entre meu pescoço enquanto ele tenta se recompor, assim como eu.
Um sorriso genuíno estava em seu rosto quanto ele levantou seu rosto e me encarou, ele tentou equilibrar seu corpo sobre o meu e suas mãos deslizaram pelo meu rosto suado o acariciando, e eu apoiei minha mãos na sua aproveitando o toque amoroso.
Seus olhos me olhavam de forma profunda que eu tentava decifrar, queria entender seu olhar, queria entender o que se passou aqui. Para mim não foi uma simples transa, eu sempre fui completamente apaixonada pelo meu melhor amigo, gay, dá para imaginar a frustração que sentir aos 16 anos quando ele veio até mim animado e sorridente dizendo que estava apaixonado? Eu sorria como uma idiota a espera dele se declarar para mim, até ouvir sair de sua boca um nome masculino e ele se assumir gay. Venho tentando ligar com isso a 6 anos, mas eu não aguentei mais e o ter sentindo excitado por mim me dominou de uma forma que não pude me controlar.
- Vamos ser sinceros um com o outro? – ele sugeriu e eu confirmo com a cabeça ainda incapaz de dizer algo. – Não faço a mínima ideia do que aconteceu aqui, mas é algo que gostaria de voltar a repetir. Desde meus 15 anos sinto atrações por homem, achava estranho que naquela idade nunca sentir nada por mulher alguma, o sentimento que eu tinha por você era praticamente de irmãos. – não consigo disfarçar minha infelicidade, mas ele acaricia mais meu rosto. – Ate que você foi crescendo mais e mais, seu corpo foi mudando... – ele dizia enquanto suas mãos deslizavam por meu corpo e param em meus seios onde ele com seus dedos habilidosos fica focado em meu mamilo onde ficou beliscando o deixando mais uma vez rígidos. – Sempre fui louco por seus seios, não de forma que um gay é por de uma mulher, o querendo ter, mas de uma forma carnal, eu era loco por o abocanhar todo e fazer o que bem quiser. E essas suas curvas ... Eu sempre quis deslizar minhas mãos por ela e marcar esse seu corpo esbelto, mas era estranho... Você é a única mulher que desejo. Eu sou bi? Não sei dizer, mas eu te quero tanto as vezes, como agora, não é a primeira vez que fico de pau duro por você.
Ele roça em mim e posso sentir sua ereção voltar aos poucos, ele é rápido para se recompor.
Mas em relação as suas palavras eu apenas assinto com a cabeça, ele me deseja, apenas isso, são a única mulher que ele sente atração. Mas comigo é diferente, eu o amo.
- Harry... – eu respiro fundo antes de prosseguir, fecho meus olhos com força, incapaz de olhar em seus olhos nesse momento, eu não queria ver pena. – Se é para sermos sinceros... Eu amo você.
São minhas últimas palavras antes de ele ficar em choque. 
- Está... Isso é sério? - confirmo com a cabeça - Oh merda!Eu... Sam... Eu.
- Tudo bem Harry, eu sei oq ue vai dizer. Que é gay e que só sente uma breve atração por mim, mas caralho Harry... Você viu como com sexo oposto é bom, como você pode gostar de algo que já tem? E você não imagina o quão complicado é para mim isso, ver o homem pelo qual eu amo e sou louca falando de outro homem, porra da vontade de socar a tua cara, e será que nuncca percebeu que eu sou louca por você? Nunca percebeu meus olhares? O quanto eu gabo de você e sempre te quero do meu lado, todos os milhares de indices que eu dou? Você simplesmente parece ser se...-  e eu finalmente sou calada por seu lábios sendo pressionados pelo meu de forma bruta.
- Já te disse o quanto você fala? Você é tão tagalerante. - ele simplesmente gargalha com a ultima palavra como se fosse engraçado, e eu estou a bufar em raivar depois de um sexo tão bom desse. Ele tem de estragar tudo? - Primeiro, vamos sair dessa cama que eu estou com um má pressentimento sobre ela.
Instataneamente quando ele se move eu ouço um estalo de dou um pulo da cama antes que ela desabe com nós ainda nela.
- Segundo? - eu olho para ele e olho para cama rangendo com ele sentado sobre ela. Devo anotar isso, cama nova além de closet.
- Segundo? - ele repete. - Eu sou louco por você, agora em diante em não sou mais gay. - ele diz se levantando com um sorriso malicioso mostrando suas covinhas. - Você está certo, para que algo que eu já tenho se posso ter isso?
Uma de suas mãos envolve meu quadril e me puxa contra ele, eu sorrio logo com isso.
- Mas isso só se me quiser mais que um amigo.
- Hm... Isso é um pedido de...?
- Quer namorar comigo?
- Claro, a coisa melhor que namorar um gay que é fodasticamente foda na cama. - eu faço uma careta com minhas palavras e ele gargalha junto comigo. - E homem suficiente para me proteger, e mulherzinha suficiente para me aturar nas compras e... Assistindo filme de romance.
- Vem cá... - ele me sela brevemente e sussurra contra meus lábios. - Somos fodasticamente foda né? Quebramos a cama.
Ele fala como eu e acabo rindo mais, essa palavra soa tão rídicula.
- Harry... Eu devia ter te provocado antes, quanto tempo perdi.
- Exato, devia ter me convertido antes, olha o que eu perdi todo esse tempo. Rescuso-me a te perdoar.
- Essa frase foi gay.
- Ok... Devo mudar meu vocabulário para hetero agora?
- Claro, tem de falar com firmeza não frescura.
- Não nasci para isso. - ele diz revirando os olhos de forma dramática e gay me faz lhe bater.
- Agora para quebrar minha cama me fodendo sim?
- Claro, sempre de agora em diante.Devemos ter um estoque de cama, cada noite uma.
- Assim eu não aguento.
- Procure aguentar, Styles agora só quer mulheres.
- Mulheres?
- Não... Não... Mulher, apenas a que está na minha frente.
- Isso mesmo!

12 comentários:

  1. Por favor faz um dark com o Liam!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Dark hot hehehehehe pls baby eu não vivo sem seu blog....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu o farei, awn... Fico feliz com isso em, obrigada por acompanhar.

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. O imagine perfeito <3 meu preferido <3

    ResponderExcluir
  5. Ai meu Deus...CARAMBA EU A-M-E-I !!!! Muuiittoo bom
    Ass: Laah Malik

    ResponderExcluir
  6. Além de ser engra é totalmente do jeito que gosto (Hot,mais nem tão hot assim) ameii <3

    ResponderExcluir
  7. QUE ISSO GZUIS???
    mds é perfeito
    Amei

    ResponderExcluir
  8. QUE ISSO GZUIS???
    mds é perfeito
    Amei

    ResponderExcluir

✖ Sugestões e críticas são bem vindas.
✖ Caso o script interativo não esteja pegando, informe, por favor.