Atalho Image Map

segunda-feira, 9 de março de 2015

Imagine - Zayn Malik

"Sei que as pessoas fazem promessas o tempo todo
Depois dão às costas e as quebram
Quando alguém parte o seu coração e o abre com uma faca
Agora você está sangrando
Mas eu poderia ser o cara pra curar isso com o tempo
E não vou parar até você acreditar
Porque, baby, você vale a pena"
- Justin Timberlake



Não sei se estava sonhando acordada ou se estava no mais puro e profundo sono. Mas pude perceber que sorria enquanto dormia, pois sonhando com ele. Acho que por um momento nossas mentes estavam conectadas. Eram três horas da manhã quando acordei com meu celular tocando embaixo do meu travesseiro “Cause you make me feel like, i've been locked out of heaven for too long...”. Abri os olhos lentamente, incomodada com a claridade do visor, mas ao ver sua foto na tela não pude deixar de sorrir mais uma vez.

Fiquei preocupada, ao pensar se algo de errado havia acontecido ou ele só queria conversar por não estar conseguindo dormir.

- Ligação On –


- Oi, tudo bem? – falei rouca por conta do sono, e fechei os olhos esperando que ele dissesse "sim". Quando me dei conta sua voz estava trêmula. Eu o conheço, sei diferenciar cada tom de voz, quando ele está sorrindo ou até mesmo chorando.
- Não está mais dando certo... - ele suspirou

Senti o mundo cair sobre mim, como se fosse o próprio Atlas sustentando os céus em suas costas. E então eu percebi que estava prestes a chorar. O que tinha acontecido com meu pequeno? Chamo Zayn assim desde que somos melhores amigos. Digamos que nós tivemos um começo muito difícil... Eu era o tipo de pessoas que afastava as pessoas de mim, mas mesmo assim ele queria fazer parte da minha vida. Saber minhas inseguranças, segredos, medos, tristeza e o pior de tudo, minha fraqueza. Como nós chegamos até onde estamos? Melhores amigos? Essa é uma longa... longa história.
- Zayn, o que aconteceu? - perguntei me sentando na cama
- Eu... Eu preciso falar com você. É só isso. Eu preciso te ver... – ele deu uma leve risada. Tentei controlar o choro, mas era inevitável, eu odiava vê-lo assim, mas apenas disse que aceitaria a tal conversa! – Obrigado por tudo e desculpa ter te ligado a essa hora, sei que você estava dormindo.
- Não precisa se desculpar, Zayn. Sempre que você quiser falar comigo, me ligue eu vou correndo ver você... Bom, o horário não ajuda muito infelizmente... mas você nunca incomoda, nunca. - eu disse calmamente.
- Não , não. Eu não iria deixar você sair de casa a essa hora. Não iria me perdoar se acontecesse algo a você... Eu nunca iria encontrar paz de espírito. - ele disse sério.
- Não quer contar o que aconteceu? O que você quis dizer com "Não está mais dando certo?"
- Conversamos mais tarde, tudo bem? - ele falou calmo.
- Tudo bem... - eu disse triste.
- Droga... - ele suspirou - Eu te deixei triste não foi?
- Você não confia em mim, Zayn? - eu disse já chorando
- É claro que eu confio, meu amor. - ele estava sendo tão calmo e atencioso.
- Então por que você não quer me contar?
- Eu só acho que não seja assunto pra falar por telefone. Estou com saudades e quero ver você... Mais tarde conversamos. Tente dormir, ok?
- Ok.
- Me promete?
- Prometer o quê?
- Me prometa que vai tentar dormir, . - eu bufei, estava começando a ficar com raiva.
- Tudo bem, Zayn. Eu prometo que vou tentar dormir.
- Espero mesmo. Até mais tarde.
- Até... Beijos. - eu encerrei a ligação.

– Ligação Off –


Não consegui dormir, as falas dele ficaram na minha mente como uma fita cassete arranhada, repetindo o trecho mais irritante da conversa. Cada minuto que passava pareciam horas, em instantes de cinco em cinco minutos eu olhava pro relógio ao lado da cabeceira da cama, acho que nunca estive tão ansiosa para vê-lo por mais que ele passasse alguns dias aqui em casa pra me fazer companhia. Ao meio de tantos soluços acompanhados de melodias tristes que ecoavam em meus ouvidos e finalmente pude dormir.
Às 9 horas da manhã, ouvi os berros da minha mãe do lado de fora do meu quarto. Fui tomar banho, troquei de roupa e fui tomar café... porque minha mãe diz que é a refeição mais importante, mesmo se você não estivesse com fome, teria que comer. Eu estava horrível, meus olhos estavam inchados de tanto chorar e com leves olheiras. Quando cheguei na cozinha mamãe estava preparando o café.

- Bom dia!!! – minha mãe disse animada, sussurrando uma música qualquer assim que adentrei na cozinha.
- Bom dia! – sinto muito dizer, mas o meu tom não foi um dos melhores.
- Acordou com o pé esquerdo?
- Se acordei de pé esquerdo? Eu tive pesadelo e cai da cama! Está bom pra você?
- Você se machucou? – disse preocupada, ela parou de mexer uma panela que estava ao fogo e virou-se para mim.
- Mãe, eu fui sarcástica!
- Garota, não seja sarcástica comigo. - ela apontou pra mim
- Acho que puxei o bom humor do papai!
- Está querendo dizer que sou mau humorada?
- Não. É só que a Sra. leva as coisas muito a sério.
- Enfim, você tem notícias do Zayn? Ele não apareceu mais aqui, eu gosto dele! – ela deu um sorriso que não consegui distinguir.
- A gente vai sair hoje à tarde, eu acho. É bom saber que a Sra. gosta dos meus amigos. E o que você quis dizer com “eu gosto dele”? – perguntei com uma das sobrancelhas arqueadas. Espera ai, minha mãe gosta dele? E o que eu estou pensando? Ele é só meu amigo. Se bem que ele me chamou de meu amor mais cedo, ele nunca tinha me chamado assim antes. Eu gostei mas achei... muito sentimental.
- Não estou me referindo a ele como um... amigo. Gosto dele de outro jeito... Hm, - ela desligou o fogo e virou-se, pensativa - digamos que de um jeito diferente – sorriu e deu de ombros.

O que minha mãe estaria pensando entre mim e ele? Ela queria que ele fosse genro dela, é isso? Está ai uma coisa IMPOSSÍVEL de se acontecer!

- O que? Não mãe... - eu balancei a cabeça negando - De jeito nenhum. O que ele iria querer comigo? Somos apenas amigos!
- Tudo bem, tudo bem. - ela puxou uma cadeira e se sentou de frente pra mim - Eu sei que não conversamos sobre garotos, sexo... Essas coisas que mães deveriam falar com as filhas. Mas sei que você fala pras suas amigas ou pro seu pai.
- Mãe, meu melhor amigo é o Zayn. Eu posso até falar sobre garotos com ele, por mais que ele fique irritado pelo falo dele ser super protetor, mas não falo com ele sobre sexo. Nem pensar. Então definitivamente eu falo com o papai. Quando eu sinto que estou sobrecarregada eu falo com ele, e do nada começo a chorar, o papai é tão calmo e realmente tem paciência comigo. Já você é o contrário, assim que me vê chorar começa a gritar.
- Desculpe se eu não passei por essa fase conturbada que você chama de puberdade e blá blá blá. Mas eu percebo o jeito que ele olha pra você, ou quando os olhos dele brilham quando menciono seu nome. Você e ele podem não reparar nessas coisas, mas os amigos de vocês, sim.

Senti minhas bochechas queimarem, mas por mera estupidez, lembrei dele falando comigo no telefone “Não está dando mais certo...”. O que ele queria dizer com isso? Mas que droga. Permaneci calada, e fui para o meu quarto, tinha que ocupar minha mente com outras coisas e resolvi ligar o computador e lá estava uma foto de nós dois juntos como papel de parede. Nós éramos o típico casal de melhores amigos que as pessoas comentavam que somos um par perfeito, que fomos feitos um para o outro. Olhei aquele belo par de olhos cor de âmbar... desde quando ele começou a ter esse efeito sobre mim?

Ele conseguia me deixar embriagada com uma dose de sorriso substituída por Vodka. Senti o celular vibrar sobre a cama: uma nova mensagem! E como já era de se esperar, Zayn.

- Hoje, as 16:30 horas da tarde na praia...
- Ok, te vejo lá. Beijos!

Já eram 15:30 quando desliguei o computador e fui ao guarda-roupa. E pela primeira vez eu não sabia o que vestir porque eu queria impressionar um garoto, na verdade eu queria impressionar Zayn. E por mais que as pessoas dissessem “Coração e mente não andam juntos”, eu estava sendo idiota por pensar que ele gosta de mim, sendo que só somos amigos. Mas esse sentimento pode mudar não é? Tudo começa de uma amizade.
Fui tomar banho e confesso que nunca demorei tanto, sequei-me e troquei de roupa, peguei meu celular e fui à praia.

Quando cheguei lá, o vi sentado na areia olhando pro mar. Nunca estive tão nervosa quanto naquele momento! Ele se levantou quando percebeu minha presença e me deu um forte abraço, sorrindo ao me olhar.

- Quer caminhar um pouco? - ele disse passando a mão pela bermuda tirando o excesso da areia.
- Por mim tudo bem! – dei de ombros, fingindo estar calma, mas por dentro estava pior que bambu em ventania.
- Então vamos caminhar um pouco! - ele sorriu e colocou o braço sobre meus ombros - Eu estava com saudade. - ele me puxou mais para perto e me abraçou, e retribui.
- Zayn, está tudo bem? - disse assim que o soltei e parei de frente pra ele.
- Sim, por que não estaria? - ele voltou a caminhar e entrelaçou nossos dedos me levando junto com ele.
Isso é normal não é? Digo, amigos entrelaçarem os dedos. Por favor, me digam que sim.
- Não sei... Me diga você! - eu olhei pra ele.
- Acho que depois do que eu vou te falar vai ficar melhor... ou pior, . – ele disse inseguro.
- Às vezes você me dá medo sabia? – eu disse sorrindo.
- Você ainda se lembra do dia em que a gente se conheceu? – perguntou sorrindo com a língua entre os dentes e olhando pro horizonte! Eu era viciada naquele sorriso, se ele estivesse em apuros seu sorriso iluminava o caminho. - Você e todo aquele seu discurso de que eu iria bagunçar a sua vida e depois ia embora sem mais em menos.
- É isso o que você está fazendo? Indo embora? - eu soltei nossas mãos.
- Não, . Eu não estou indo embora. - ele tentou pegar a minha mão mas eu não deixei.
- Bom... Pra ser sincera Zayn, é o que parece. Não me importo de você ter me ligado as três horas da madrugada... Mas você me disse que "Não está mais dando certo". O que é que não está mais dando certo? - em nenhum minuto eu deixei de olhá-lo.
- A nossa amizade... - ele suspirou.
- Viu só? - eu ri pois sabia que estava certa. Eu sabia que uma hora ou outra ele iria embora da minha vida, assim como todos os outros. Eu comecei a andar para longe dele.
- Não, . Você não entendeu. - ele correu até mim e puxou meu braço.
- Então me diz, Zayn. Me diz o que eu ainda não entendi. - eu esbravejei.
- EU ESTOU APAIXONADO POR VOCÊ. - ele gritou - Pronto, está satisfeita? - eu fiquei paralisada... Sem reação - Você nunca percebeu o jeito como eu te olho ou te trato diferente das outras garotas das quais são minhas amigas?
- Não... - eu sussurrei de cabeça baixa.
- Desculpas por ter te ligado tão tarde, é que eu precisava ouvir sua voz e te contar o que eu sinto. Pensei que iria ser mais fácil te contar por telefone, mas seria indelicado da minha parte falar sobre isso pelo celular. Nos últimos meses eu venho pensando em você constantemente, eu nunca senti isso por alguém. Sinto vontade de ter você ao meu lado pra sempre até ficarmos velhinhos – ele sorriu
- Por que... Eu? – eu finalmente olhei pra ele. Dentre tantas garotas lindas ele escolhe a mim...
- A gente não escolhe por quem se apaixona, ... Está pra nascer alguém que te conheça tão bem quanto eu. Eu amo suas manias, defeitos, sorriso o jeito que você fala sobre sua vida. – ele pegou minha mão.
- Espera, que mania eu tenho? – arqueei a sobrancelha
- Quando você vai sair de casa, põe a mão na maçaneta mas não gira pra abrir a porta. Você para e fica pensando se aquilo que você fosse fazer iria valer a pena ou não, e de repente você se olha no espelho e fica se encarando... mas não é um um olhar de “eu sou sexy, gostosa...” é mais como... "quem eu sou de verdade". Reparei também que você passa mais tempo no telhado da casa do que dentro, e você lê... não aquelas revistas de fofocas, mas livros de conteúdo. Eu fico olhando você.
- Ela tinha razão... Nunca imaginei que você sentia isso por mim, você é o único que me entende, confesso que sentia ciúmes quando você saía com outras garotas enquanto deveria ser eu, mas amava quando você desmarcava seus compromissos só pra me ver.
- E eu faria tudo de novo. - ele sorriu.
- Há quanto tempo você sente... isso?
- Meses depois de nos conhecermos... - tentei puxar minha mão mas ele segurou firme.
- Por que você está me contando isso agora?
- Se eu tivesse contado isso antes, estaria arriscando definitivamente uma futura amizade que poderia nascer entre nós. Se bem que estou arriscando tudo agora. Mais de três anos de amizade! - eu afirmei.
- Você deveria ter me contado antes, Malik.
- Você não me deixava fazer parte da sua vida... Nós sabemos o quão difícil foi chegarmos até aqui. Nós só brigávamos, ainda brigamos mas não tanto quanto antes...
- E você acha que daríamos certo? - ele sorriu.
- Podemos tentar se você quiser. - eu apenas sorri e olhei no fundo dos seus olhos.

Ele deu um passo adiante e estava mais perto de mim... E pude perceber que sua respiração estava desregular. A brisa estava a meu favor tirando algumas mechas do meu cabelo que cobriam meu rosto, fazendo com que fossem levadas para trás. Ele ergueu uma de suas mãos até minha nuca e outra em minha cintura, me puxando para mais perto dele, e pela primeira vez, por sentimentos recíprocos, senti como se fôssemos um só ao sentir que estávamos em perfeita harmonia enquanto nos beijávamos. Um frio invadia meu corpo, causando-me arrepios. Mas senti meu coração acelerar e pequenas borboletas voando em meu estômago, senti um fervor vindo de dentro para fora. Era simplesmente avassalador. Nos tornamos dois outra vez, o beijo acabou seguido de selinhos, e ele sussurrou em meu ouvido “eu te amo”.

Parecia tão surreal como se fosse num sonho, mas os fatos como: o toque, o som das ondas indo e vindo molhando a areia que estava quente após uma tarde ensolarada e a lua surgindo no horizonte; me fizeram ver que era a mais pura realidade, então abri meus olhos e ele estava lá olhando pra mim e foi ai que eu sussurrei “eu te amo mais”.
Estava ficando tarde, ele me levou até em casa e me deu um beijo de boa noite e relutante foi embora. Entrei em casa saltitando e fui para o meu quarto, me joguei na cama e fitei o teto. Bip, nova mensagem... Zayn.

- Já estou com saudades, pequena. - ele mandou, sorri feito boba
- Bom, eu sei onde fica a sua casa... Você sabe onde fica a minha casa. Ainda vamos ter nosso primeiro encontro...
- Eu vou adorar te levar a um jantar depois assistir um filme romântico no cinema, e ficarmos abraçados no fundo da sala.
- Vai ser um ótimo primeiro encontro! - eu sorri
- Estou me sentindo honrado por ser o primeiro garoto! - ele estava certo, ele estava sendo o primeiro garoto a me levar para um encontro.
- Pois sinta-se, meu amor.
- "Meu amor"... Estou com um sorriso bobo nos lábios.
- Eu ainda vou ver esse sorriso!!!
- Sim, meu amor...

Quando me dei conta acabei adormecendo e sonhando com...
Nós.




Recomendo > http://imagine-one-directioner.blogspot.com/ < este blog, da Pâmela, que é leitora daqui. Leiam, tem muitos imagines!

2 comentários:

  1. Ahhhhhhhhh meu Deus eu simplesmente a-m-e-i ♥♥♥ MMMMUUUUUIIIITTTOOO lindoooo
    Ass: Laah Malik

    ResponderExcluir

✖ Sugestões e críticas são bem vindas.
✖ Caso o script interativo não esteja pegando, informe, por favor.